Morre o ex-deputado Arnaldo Faria de Sá, aos 76 anos

Morreu na manhã desta quinta-feira em São Paulo o vereador da capital paulista e ex-deputado Arnaldo Faria de Sá (Progressistas), de 76 anos. Radialista, contador e advogado, Faria de Sá foi deputado por oito mandatos consecutivos e eleito vereador em 2020.

O vereador foi internado no Vila Nova Star no dia 6 de junho e lá foi diagnosticado com Covid-19. O hospital afirmou em nota que o parlamentar não morreu em decorrência de coronavírus, mas não revelou a causa do falecimento.

Clima de campanha: Viagens de presidenciáveis acirram polarização nos palanques estaduais

Silêncio: Bolsonaro evita mortes de Dom e Bruno na rede e comenta sobre 'Top Gun'

De posição política conservadora, Faria de Sá tinha entre suas principais bandeiras os direitos dos idosos e pensionistas. Paulistano, iniciou a carreira política ao ser eleito deputado constituinte, em 1986, pelo PTB. Malufista declarado, foi vice na chapa de Paulo Maluf à prefeitura de São Paulo em 1988, à época pelo Partido da Juventude (PJ). A candidatura foi derrotada pela então petista Luiza Erundina.

Faria de Sá foi reeleito deputado federal por São Paulo em todas as eleições de 1990 a 2014, tendo migrado de partido por diversas vezes. Passou por PRN (sucessor do PJ), pelo PFL (que deu origem ao Democratas, hoje União Brasil), pelo PPB (hoje Progressistas), pelo PTB novamente e, desde 2018 estava no Progressistas.

O parlamentar foi membro da base aliada de Collor e chegou a ser vice-líder do governo na Câmara. Rompeu com o presidente antes do impeachment. Entre 1990 e 1993, foi presidente da Portuguesa de Desportos.

Nas eleições municipais de 1992, apoiou Paulo Maluf e ocupou o cargo de secretário Municipal de Esportes na gestão malufista entre 1993 e 1994. Em 2000, foi secretário de Governo do então prefeito de São Paulo Celso Pitta, eleito em 1996. À época, Pitta enfrentava denúncias de corrupção, gestão mal avaliada e baixa popularidade. Eleito com o apoio de Maluf, o prefeito rompeu com o padrinho político.

Em 2016, votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Já no Progressistas, Faria de sá não conseguiu se reeleger nas eleições de 2018. Foi eleito evereador em 2020 e fazia parte da base aliada do prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Em nota, o presidente da Câmara de São Paulo, vereador Milton Leite (União Brasil) lamentou a morte do colega.

"Advogado, professor e deputado federal por oito mandatos, Faria de Sá trabalhou praticamente a vida toda pela defesa dos idosos e pelos direitos dos aposentados e pensionistas. Na Câmara Municipal de São Paulo era o presidente da Comissão do Idoso e Assistência Social. Fará muita falta como vereador parceiro e combativo na luta pela aprovação dos projetos de lei importantes para São Paulo".

O parlamentar deixa esposa e duas filhas. O velório será realizado no cemitério Congonhas, no bairro Jardim Marajoara, em São Paulo, a partir das 18h desta quinta-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos