Morre o poeta, ensaísta e crítico literário Antonio Fernando De Franceschi, aos 79 anos

·2 minuto de leitura

O poeta, editor, redator, ensaísta e crítico literário Antonio Fernando De Franceschi morreu nesta segunda-feira, aos 79 anos, em São Paulo. Franceschi fez carreira no Instituto Moreira Salles, como o primeiro diretor-superintendente da instituição durante quase 16 anos, de 1992 à 2008. Além disso, ganhou o Prêmio Jabuti em 1985, com ‘Tarde revelada’, e o APCA Poesia, em 1987, com 'Caminho Das águas’, ambos publicados pela editorra Brasieliense.

No IMS, foi responsável por incorporar aos acervos importantes nomes da literatura brasileira, como Lygia Fagundes Telles, Otto Lara Resende, Rachel de Queiroz, Carolina Maria de Jesus e Clarice Lispector e também de fotógrafos importantes como Marc Ferrez, Marcel Gautherot, José Medeiros e Maureen Bisilliat.

Além disso, criou a série "O escritor por ele mesmo" e os "Cadernos de literatura brasileira", que tiveram 29 números publicados e viraram referência. Também cuidou da guarda do acervo Pixinguinha mais tarde adquirido pelo IMS.

— Ao lado do embaixador Walther Moreira Salles, o De Franceschi participou ativamente da concepção inicial e da abertura do Instituto. — afirma o Diretor-Geral do Instituto Moreira Salles, Marcelo Araújo. — Durante os 15 primeiros anos, ele foi o agente responsável por desenhar as áreas de atuação em torno das quais o IMS desenvolve suas atividades até hoje, já com incorporação de acervos muito importantes.

Nascido em 1942 na cidade de Pirassununga, interior de São Paulo, Franceschi formou-se em Filosofia na Universidade de São Paulo (USP), tornando-se, entre 1980 e 1984, editor e diretor de redação da revista IstoÉ. Na década de 90 ele também foi diretor do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

O enterro aconteceu na manhã desta terça-feira (01/06), no Cemitério do Morumbi, em São Paulo. A causa da morte não foi divulgada. De Franceschi deixa esposa e uma filha.