Morre o prefeito de cidade polonesa que foi esfaqueado

1 / 2
(Arquivo) O prefeito de Gdansk, Pawel Adamowicz, durante cerimônia comemorativa na Catedral de São Pedro, em Bremen, na Alemanha, em 5 de maio de 2016

O prefeito do grande porto polonês de Gdansk, Pawel Adamowicz, de 53 anos, gravemente ferido ao ser esfaqueado no domingo (13) por um homem durante um ato público, faleceu nesta segunda-feira (14), informou o ministro da Saúde, Lukasz Szumowski.

"O prefeito morreu não faz muito tempo. (...) Que o Senhor conceda a ele o descanso eterno", disse Szumowski à imprensa na saída do hospital universitário onde estava internado.

Político liberal muito popular, prefeito de Gdansk desde 1998, Pawel Adamowicz recebeu no domingo várias facadas de um homem diante de centenas de pessoas, em um palaque colocado para um ato de caridade nacional para arrecadar fundos.

Operado durante cinco horas, Adamowicz teve que ser ligado a vários aparelhos para que fosse mantido vivo.

"Apesar de todos os nossos esforços, não conseguimos salvá-lo", assinalou o médico Tomasz Stefaniak, responsável do hospital universitário, citado pela agência PAP.

Depois de ser esfaqueado, Adamowicz foi hospitalizado em "estado gravíssimo", detalhou o médico, que operou o prefeito.

O agressor foi rapidamente detido pelos agentes de segurança sem oferecer resistência.

De acordo com um porta-voz da polícia de Gdansk, trata-se de um homem de 27 anos e morador desta cidade de meio milhão de habitantes, localizada na costa báltica.

Vários meios de comunicação indicaram que este homem cumpriu uma pena de cinco anos de prisão por quatro ataques à mão armada contra bancos de Gdansk e que sua saúde psíquica teria piorado consideravelmente durante o período em que esteve na prisão.

O ataque chocou o país, onde praticamente não há incidentes violentos deste tipo desde a queda do comunismo, há 30 anos, excetuando-se o assassinato em Lodz em 2010 de um membro do PiS (Lei e Justiça, conservador) por um homem julgado responsável por seus atos que invocou seu "ódio" a esse partido, naquele momento na oposição.

O presidente polonês, Andrzej Duda, o primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki, e quase todos os responsáveis políticos poloneses expressaram a sua solidariedade com Adamowicz.

Entre as personalidades que quiseram homenagear Adamowicz está o ex-presidente polonês Lech Walesa. "Adeus, Pawel, lembraremos de você", afirmou no Twitter o lendário político, nascido em Gdansk.

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu e ex-primeiro-ministro liberal polonês, também originário de Gdansk, se referiu ao falecido prefeito dizendo: "Pawel Adamowicz, prefeito de Gdansk, homem de solidariedade e de liberdade, um europeu, meu bom amigo, foi assassinado. Que descanse em paz", tuitou.