Morre Roberto Dinamite, maior ídolo da história do Vasco

Roberto Dinamite morreu de câncer no cólon, o mesmo que atingiu Pelé
Roberto Dinamite morreu de câncer no cólon, o mesmo que atingiu Pelé

Morreu neste domingo, aos 68 anos, Roberto Dinamite, maior ídolo e artilheiro da história do Vasco da Gama. O ex-atacante lutava contra um câncer.

Dinamite, que também foi deputado estadual pelo MDB por cinco mandatos, marcou 708 gols pelo Gigante da Colina. Além disso, ostenta até hoje o título de maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro, com 190 gols, e do Carioca, com 279 gols.

Além disso, é o maior artilheiro da história de São Januário, com 184 tentos anotados

Roberto Dinamite disputou 1.110 jogos com a camisa do Vasco entre 1971 e 1989, outro recorde. Com o Vasco, Roberto conquistou um Campeonato Brasileiro (1974) e cinco Campeonatos Cariocas (1977, 1982, 1987, 1988 e 1992).

Em uma de suas atuações mais brilhantes, em 1980 (depois de uma breve passagem pelo Barcelona), num Maracanã com 100 mil pessoas, ele marcou todos os gols da vitória do Vasco por 5 a 2 contra o Corinthians.

Dinamite também teve breves passagens pela Portuguesa, em 1989, e pelo Campo Grande, em 1991, antes de retornar ao clube carioca para encerrar a carreira em fevereiro de 1993, num amistoso entre Vasco e La Coruña, da Espanha, no Maracanã. Naquele dia, outro momento histórico: Zico, ídolo máximo do rival Flamengo, vestiu a camisa do Gigante da Colina para homenagear o amigo.

Presidente do Vasco rebaixado

Roberto Dinamite foi eleito presidente do clube em 2008 e logo teve lidar com o primeiro rebaixamento da história do clube, uma mancha histórica.

No ano seguinte a equipe ganhou a Série B do Brasileirão. Em 2011 conseguiu o inédito título da Copa do Brasil. Em 2013 o clube caiu outra vez para a Segunda Divisão, e Roberto encerrou seu segundo mandato como presidente do Vasco um ano depois.