Quatro palestinos morrem por disparos israelenses nos protestos de Gaza

Cidade de Gaza, 20 abr (EFE).- Quatro palestinos morreram nesta sexta-feira por disparos do Exército de Israel nos protestos da Grande Marcha do Retorno, convocada junto à fronteira de Faixa de Gaza com Israel, nas quais quase uma centena de pessoas ficaram feridas por bala, informaram fontes médicas palestinas.

Além disso, os serviços médicos atenderam 445 pessoas, 96 delas por ferimento a bala e as demais por balas revestidas de borracha, quedas ou intoxicação por inalação de gás lacrimogêneo.

O Exército israelense disse em comunicado que desde a manhã "aconteceram distúrbios em cinco pontos perto da fronteira com a Faixa de Gaza".

"Cerca de três mil palestinos participaram dos distúrbios, ao tentar se aproximar das infraestruturas de segurança, perto das quais queimaram pneus e tentaram jogar petardos com artefatos inflamáveis", conforme a nota do Exército israelense.

As tropas israelenses na região estão respondendo com meios antidistúrbios e disparam de acordo com as regras para abrir fogo nestes casos, afirmou o comunicado militar.

Neste sentido, a nota afirma que o Exército "não vai permitir nenhum dano à infraestrutura de segurança que protege os civis israelenses e agirá contra os arruaceiros violentos e os terroristas que o tentarem".

Por sua vez, em discurso na televisão, o chefe político do movimento islamita palestino Hamas, Ismail Haniye, encorajou os habitantes da faixa a manter as mobilizações. EFE