Morre Thiago de Mello, poeta que lutou pela Amazônia, aos 95 anos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Thiago de Mello
    Poeta brasileiro
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 15.03.2016:  Thiago de Mello   -    Poeta Thiago de Mello recebe homenagem por seus 90 anos. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO, SP, 15.03.2016: Thiago de Mello - Poeta Thiago de Mello recebe homenagem por seus 90 anos. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O poeta e jornalista amazonense Thiago de Mello morreu nesta sexta-feira (14), aos 95 anos. A morte foi confirmada pela editora Global, que publicava suas obras.

Nascido em Barreirinha, no interior do Amazonas, é um dos poetas mais conhecidos da região, e cantou em prosa e verso sua luta pela preservação da maior floresta do mundo.

Um de seus poemas mais célebres é "Estatutos do Homem", escrito logo após a instauração do regime militar em 1964, que correu o mundo em várias traduções.

Outro de seus livros mais famosos é "Faz Escuro, Mas Eu Canto: Porque a Manhã Vai Chegar", publicado no ano seguinte e tendo sua frase-título lembrada na última Bienal de Arte de São Paulo.

Por seu engajamento contra a ditadura, Mello chegou a ser preso e passou anos no exílio, em países como Argentina, Portugal e Chile, onde vivia seu amigo Pablo Neruda.

Voltou ao Brasil após a restauração da democracia, vivendo sempre no Amazonas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos