Morre Valentina de Andrade, ligada ao caso Evandro e emasculados de Altamira

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Valentina de Andrade, mulher que teve o nome vinculado ao Caso Evandro, no Paraná, e ao caso das crianças emasculadas em Altamira, no Pará, morreu aos 91 anos em Londrina (Paraná).

A informação foi confirmada pelo jornalista Ivan Mizanzuk, que contou que Valentina morreu na madrugada do sábado (31).

O nome da mulher, considerada líder da seita Lineamento Universal Superior e autora do livro "Deus, a grande farsa", ganhou repercussão na imprensa nacional na década de 1990, quando ela foi investigada por suspeita de envolvimento no desaparecimento de meninos em Guaratuba (Paraná).

Valentina de Andrade estava em Guaratuba com outros membros do Lineamento Universal Superior quando os meninos Evandro Caetano e Leandro Bossi desapareceram em 1992. Isso fez com que uma suspeita fosse levantada contra ela durante as investigações.

Ela nunca foi acusada formalmente do caso, mas a imagem e o nome dela foram publicados nos jornais da época.

A repercussão da história e o fato de ela ter passado pelo Pará quando crianças foram emasculadas em Altamira, também na década de 1990, fez com que ela fosse acusada de ligação com o caso.

Ela chegou a ser julgada no caso do Pará e absolvida por falta de provas em 2003. Valentina foi a única dos cinco acusados julgados a ser inocentada na ocasião.

A causa da morte de Valentina não foi divulgada.