Chinês se submete a cirurgia de mudança de sexo aos 72 anos

Pequim, 31 mar (EFE).- Xin Yue, um chinês de 72 anos, foi submetido com sucesso a uma operação de mudança sexo para se transformar em mulher, conseguindo realizar um sonho que ele nutria por décadas, segundo informações do jornal "Global Times".

Xin viajou de Pequim para Huizhou, onde passou pela cirurgia com o apoio de sua esposa Leng Rui e da filha do casal, já que as leis chinesas obrigam a que a pessoa interessada na mudança de sexo precisa ter autorização de sua família.

Em entrevista para o jornal "Southern Metropolis Daily", Xin contou que sempre se sentiu mulher, mas que decidiu levar uma vida de homem casado pelas pressões sociais.

"Naquela época, a sociedade era diferente, com crenças tradicionais, pressão familiar e condições econômicas que não permitiam escolher seu caminho", disse Xin, já mulher, aos jornalistas.

No entanto, a sociedade tradicional chinesa tem suas contradições, e de fato, Xin foi tratado como uma menina durante seus primeiros anos de vida, porque seus pais tinham três meninos e desejavam ter uma garota, então decidiram considerar um de seus filhos como tal.

Casos como este acontecem com certa frequência em famílias rurais da China. Xin teve penteados próprios de menina até começar frequentar a escola, quando, segundo seu relato, não gostou que cortassem seu cabelo ou que obrigassem a usar o banheiro dos meninos.

Xin e sua esposa, que estão juntos há 47 anos, levavam uma vida como um casal convencional, mas algo mudou quando ele se aposentou, em 2000, e comprou um computador, o que lhe deu acesso a um mundo novo, o de outros transexuais como ele.

"Lá (internet) ele conheceu outros internautas que queriam mudar de sexo", conta o jornal "Global Times", e afirma que isso motivou Xin a iniciar tratamento com hormônios e a começar a pensar em uma possível operação para troca de sexo, algo que sua esposa aceitou com naturalidade.

"Eu não penso muito sobre isso, eu só queria que ela fosse feliz", disse Leng, em declarações citadas pelo jornal.

No entanto, não foi fácil para Xin poder realizar a operação: além da permissão da família, foi necessário o processo de passar por um interminável teste psicológico.

Nele ele teve que responder mil perguntas dos médicos, em algumas ocasiões repetidas para testar a força de suas convicções, e obter um alto número de "acertos", caso contrário a intervenção cirúrgica teria sido negada. EFE