Morreu dissidente chinês que jogou tinta no retrato de Mao em 1989

(Março) O retrato de Mao Tsé-Tung na Praça Tiananmen

O dissidente Yu Zhijian, famoso por ter derramado tinta no retrato gigante de Mao Tsé-Tung na Praça Tiananmen (Paz Celestial) de Pequim durante as manifestações de 1989, morreu no fim de março, nos Estados Unidos, anunciou a viúva.

Yu Zhijian, 53 anos, que sofria de diabetes, faleceu em 30 de março, afirmou à AFP Xian Gui'e, a viúva do dissidente contactada em sua residência em Indiana, região central dos Estados Unidos.

"Yu Zhijian nunca se arrependeu do que fez em 1989, mas teria gostado de apresentar suas desculpas à família de Mao por ter jogado ovos com tinta contra o retrato", disse Xian.

Por este gesto, cometido em 23 de maio de 1989, ao lado de dois colegas, Yu Zhijian cumpriu uma pena de 12 anos de prisão.

O retrato gigante de Mao permanece instalado em um muro da grande praça do centro de Pequim.

Yu Zhijian e seus dois colegas foram levados para a polícia pelo serviço de segurança dos manifestantes, que ocupavam a praça há várias semanas para exigir reformas democráticas mas não queriam parecer hostis ao governo.

Após a repressão violenta das manifestações em 4 de junho de 1989, Yu Zhijian foi condenado à prisão perpétua e seus dois colegas, Yu Dongyue e Lu Decheng, a penas de prisão de 20 e 16 anos, respectivamente.

Yu Zhijian, libertado por bom comportamento, e Yu Dongyue, libertado em 2006 após 17 anos de prisão, fugiram da China em 2009 e conseguiram asilo político nos Estados Unidos.

Lu Decheng, liberado em 1998, deixou a China em 2004.

Xian explicou que ela e o marido, que trabalhavam como enfermeiros, conseguiram a nacionalidade americana e nunca tentaram retornar a China.