Morreu Georg Ratzinger, irmão do papa emérito Bento XVI

Foto de 31 de julho de 2008 do papa Bento XVI e seu irmão o bispo Georg Ratzinger

Georg Ratzinger, o irmão mais velho de Bento XVI, faleceu na Baviera aos 96 anos, mais de duas semanas após a visita surpresa do papa emérito, informou nesta quarta-feira a Santa Sé.

O papa emérito Bento XVI, de 93 anos, viajou em 18 de junho para ver seu irmão, já muito debilitado fisicamente, para uma visita de adeus de quatro dias, seu primeiro deslocamento ao exterior desde sua renúncia em 2013.

Os dois irmãos, ambos ordenados sacerdotes no mesmo dia em junho de 1951, eram muito próximos. Georg Ratzinger costumava visitar seu irmão no Vaticano.

"Desde o início da minha vida, meu irmão sempre foi para mim não apenas um companheiro, mas também um guia confiável. Foi para mim um ponto de orientação e de referência com a clareza, a determinação de suas decisões. Ele sempre me mostrou o caminho a ser seguido, mesmo nas situações difíceis", disse o papa emérito a respeito do irmão em 2008.

Georg, por sua vez, revelou que não ficou feliz com a eleição de seu irmão como papa: "compreendi que a nossa relação deveria reduzir consideravelmente", confidenciou.

Os dois irmãos compartilhavam o amor pela música e pelo piano.

Georg Ratzinger recebeu formação em composição e direção musical. De 1964 a 1994, ele conduziu o coro católico dos pequenos cantores de Regensburg, agora no centro de uma investigação por maus-tratos físicos e agressões sexuais. Mas ele garantiu que nunca ouviu falar de nenhum abuso entre as crianças.

Esse irmão músico fez inúmeras turnês de concertos em todo o mundo e dirigiu gravações de música clássica.

Na Baviera, o papa emérito também foi ao cemitério onde seus pais e sua irmã mais velha, Maria, que morreu em 1991, estão sepultados.

Maria cuidou toda a vida de seu irmão Joseph (o futuro papa), seguindo-o até em Roma.

Devido ao seu estado de saúde frágil, Bento XVI viajou na companhia de um médico e uma enfermeira, mas também de seu secretário particular, o arcebispo alemão Georg Gänswein, que agora cuida dele em tempo integral.

Nas fotos de sua viagem, ele apareceu apenas em cadeira de rodas.

Bento XVI sonhava em se aposentar em sua Baviera natal, mas paradoxalmente passou as últimas quatro décadas de sua vida no Vaticano.

Em sete anos de "aposentadoria", o papa alemão deixou os muros do Vaticano por apenas algumas horas para ir ao palácio pontifício de Castel Gandolfo, perto de Roma, em julho de 2019.

Joseph Ratzinger anunciou em latim, em fevereiro de 2013, aos cardeais atordoados que estava renunciando ao trono de Pedro, depois de oito anos de um pontificado minado por uma profunda crise.

O ex-professor de Teologia, que lecionou por 25 anos em universidades alemãs antes de ser nomeado arcebispo de Munique, foi o guardião muito conservador do dogma da Igreja à frente da Congregação para a Doutrina da Fé por mais de um quarto de século em Roma, antes de ser papa por oito anos (2005-2013).