Morta em agosto, Fernanda Young vence Prêmio Jabuti

Ruan de Sousa Gabriel
Fernanda Young recebeu prêmio póstumo pela antologia de crônicas 'Pós-F: para além do masculino e do feminino'

SÃO PAULO - O 61º Prêmio Jabuti, entregue na noite desta quinta-feira (28), em São Paulo, honrou duas escritoras já falecidas. O primeiro Jabuti póstumo foi para Fernanda Young, morta em agosto, aos 49 anos, por sua antologia de crônicas “Pós-F: para além do masculino e do feminino”. No livro, sua única incursão na não ficção, Fernanda explora episódios autobiográficos para discutir o que significa ser homem e ser mulher hoje.

Houve ainda um segundo Jabuti póstumo, o de poesia, para Hilda Machado, autora de “Nuvens” (Editora 34). Falecida em 2007, Hilda chegou a registrar o manuscrito de “Nuvens” na Biblioteca Nacional para a proteção de direitos autorais, mas seus versos sarcásticos e de sofrimento raivoso só foram publicados no ano passado.