Morte de 3N aumenta tensão na disputa pelo domínio de comunidades em Niterói

O traficante Thomas Jayson Vieira Gomes, o 3N, foi morto durante uma operação policial na ultima terça-feira: ele estava escondido com comparsas num sítio em Itaboraí.

NITERÓI - A morte do traficante Thomas Jhayson Vieira Gomes, o 3N, na última terça-feira, teve desdobramentos em Niterói e aumentou a tensão na disputa entre facções pelo domínio de parte das comunidades da Zona Norte. Dois dias após a operação da polícia que localizou 3N, até então o bandido mais procurado do Rio, e mais cinco comparsas dele num sítio em Itaboraí, um de seus homens de confiança, Diego Félix Domingos Rezende, o Chibó, que controlava a venda de drogas no Santo Cristo, no Fonseca, foi morto na comunidade em conflito com agentes do 12º BPM (Niterói). Ele era considerado o principal articulador da disputa com a facção criminosa rival pelo domínio do Pimba, do Coronel Leôncio e da Palmeira, na mesma região.

As comunidades dessa área do Fonseca vêm sendo disputadas há meses pelas duas facções que controlam a venda de drogas no estado. Depois de ser expulsa da região em agosto, a quadrilha de 3N também perdeu territórios no Centro, e a facção rival chegou a dominar todas as comunidades de Niterói, um fato atípico na cidade, não visto há pelo menos duas décadas, mas que durou pouco mais de um mês.

Em outubro, o bando de 3N, liderado por Chibó, retomou as comunidades perdidas na Zona Norte, e a facção voltou a atuar na cidade. Segundo fontes da área de segurança pública, após a morte de 3N, o foco da quadrilha é retomar o controle do Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, e se estabelecer nas áreas perdidas em Niterói.

— A morte (de 3N) causa muita tensão dentro da própria facção, que já vinha enfraquecida na região e agora passará por uma disputa interna pelo comando. Para a fação rival, aumenta a ânsia de tomar as áreas perdidas. A Polícia Militar em Niterói está atenta, e a operação feita no Santo Cristo dois dias depois (da morte de 3N) é a prova disso — diz um agente da polícia civil em São Gonçalo que pediu anonimato.

As ordens de invasão às comunidades que eram controladas por 3N podem ter partido do traficante Antônio Ilario Ferreira, conhecido como Rabicó ou Coroa, chefe do tráfico no Salgueiro, em São Gonçalo. Ele é inimigo declarado de 3N e foi solto no último dia 14, depois de passar mais de 11 anos preso.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER ( OGlobo_Bairros )