Morte de advogado: polícia investiga GPS achado perto de carro; vítima podia estar sendo monitorada

Agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá vão investigar um GPS que foi encontrado próximo ao carro do ex-policial civil e advogado Carlos Daniel Dias André, de 40 anos, morto na manhã desta terça-feira em Piratininga, Niterói, Região Metropolitana do Rio. Os agentes querem saber a origem do rastreador: se ele pertencia ao carro ou se foi instalado por alguém para acompanhar os trajetos feitos por Carlos Daniel. Informações preliminares dão conta que o equipamento não pertencia à empresa contratada para segurar o carro que o advogado dirigia.

Morte de genro: Sogra suspeita da morte de motorista de aplicativo assumiu participação na ocultação do cadáver

Envenenamento, ameaça, invasão de domicílio: veja os crimes pelos quais a madrasta já foi investigada

Tatuagem: Conheça o brasileiro que dominou técnica ancestral e tatua membros da yakuza, a máfia do Japão

Nesta tarde, as duas únicas testemunhas do caso prestam esclarecimentos na sede da especializada, no Centro de Niterói. A Delegacia de Homicídios já sabe que o atirador estava em uma moto e que fez o disparo pelo lado do passageiro, onde estava o filho de Carlos Daniel. O jovem não se feriu.

De acordo com um perito que esteve no local e que perícia o corpo e o carro, duas cápsulas deflagradas foram encontradas dentro do carro. Ainda de acordo com o profissional, Carlos Daniel foi atingido por um tiro que atingiu o tórax, transfixou a região e saiu nas costas. Os profissionais destacaram ainda que o disparo que atingiu o homem foi dado pelo lado do passageiro, no caso seu filho, que estava com o vidro da janela aberto. O carro era blindado.

Violência: Universitário é ferido em tentativa de assalto em acesso do metrô no Centro; 'Esfaqueia ele'

No começo da tarde, agentes localizaram uma câmera de segurança que poderá ajudar a identificar quem cometeu o crime. O crime aconteceu nas avenidas Adolfo Bezerra de Menezes com a Conselheiro Paulo de Melo Kalle.

Pé no freio: Valor da passagem de ônibus precisaria aumentar até 200% para cobrir custos, diz estudo

Em nota, a Associação Nacional da Advocacia Criminal (Anacrim) lamentou a morte do advogado. “É com profunda tristeza que tomamos conhecimento do brutal homicídio que ceifou a vida do advogado criminalista Dr. Carlos Daniel Dias André, na manhã dessa terça-feira. Daniel era um jovem advogado, muito querido entre os colegas da advocacia criminal, que enfrentou sérios problemas na sua trajetória, mas que, superando todas as dificuldades, tornou-se um advogado aguerrido, combativo e com uma promissora carreira”, diz trecho do comunicado, que seguiu:

“A diretoria da Anacrim - Associação Nacional da Advocacia Criminal, indignada com essa violência e ressentida dessa perda, vem externar condolências a todos os familiares e amigos”.

Câmara dos Vereadores: Morte de ex-assessor de Gabriel Monteiro deixa testemunhas com medo, diz relator de processo na Casa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos