Morte da rainha Elizabeth é marcada pelo mundo com homenagens e flores

Pessoas reunidas no Memorial Rainha Vitória, em frente ao Palácio de Buckingham após a morte da Rainha Elizabeth 2ª. REUTERS/Kevin Coombs

LONDRES (Reuters) - Enquanto líderes mundiais prestavam homenagem à rainha Elizabeth por sua morte aos 96 anos de idade nesta quinta-feira, pessoas comuns no Reino Unido e em todo o mundo demonstraram respeito à mulher que foi o rosto de sua nação por mais de 70 anos.

Em uma noite chuvosa em Londres, milhares se reuniram do lado de fora do Palácio de Buckingham, no centro de Londres, alguns colocando arranjos florais do lado de fora dos portões pretos de ferro. Cenas semelhantes foram vistas do lado de fora da casa da rainha no Castelo de Windsor.

Retratos de Elizabeth foram colocados em telas de outdoors na Piccadilly Circus, no centro de Londres, e no distrito financeiro de Canary Wharf, e também do outro lado do Atlântico, na Times Square de Nova York. Flores foram colocadas do lado de fora do Consulado Geral Britânico em Nova York.

Em Washington, a bandeira dos EUA foi baixada a meio mastro para marcar a morte de uma monarca cujo legado o presidente Biden afirmou que "será grande nas páginas da história britânica e na história do nosso mundo".

Sua morte também foi lembrada em cidades europeias.

Em Berlim, flores e velas foram colocadas do lado de fora da Embaixada Britânica, enquanto em Veneza "God Save the Queen", ou "Deus Salve a Rainha", o hino nacional britânico, foi tocado do lado de fora dos edifícios de festivais da cidade italiana.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB