Morte de Gal Gosta: corpo da cantora está sendo preparado dentro dos preceitos do candomblé

Gal Costa em um do seus últimos shows, em São Paulo. (Foto: Mauricio Santana/Getty Images)
Gal Costa em um do seus últimos shows, em São Paulo. (Foto: Mauricio Santana/Getty Images)

Resumo da Notícia:

  • Gal Costa morreu em São Paulo aos 77 anos

  • A cantora será velada na Assembleia Legislativa de São Paulo

  • Candomblecista, o corpo da artista é preparado por membros do Gantois, da Bahia

A morte de Gal Costa surpreendeu fãs, amigos e familiares nesta quarta-feira (9) e o Brasil chorou. A artista fez a passagem aos 77 anos, com mais de 50 de carreira, e seu velório acontecerá nesta sexta-feira (11), na Assembleia Legislativa de São Paulo.

O momento será aberto ao público e, para a ocasião, o corpo da artista está sendo preparado dentro dos preceitos do candomblé, religião que ela era devota há dezenas de anos. Gal era tratada como Ègbón, que significa ‘a irmã mais velha’.

“O Gantois mandou hoje. Chegaram em São Paulo três pessoas que vão cuidar do corpo dela nessa passagem e voltam no fim do dia, antes do pôr do sol. São coisas da Bahia e é bonito. O Gantois cuidou a vida inteira de Gal e vai cuidar nessa outra vida também”, disse o empresário e publicitário Nizan Guanaes no “Mais Você”.

O entrevistado de Ana Maria Braga revelou que o terreiro fundado em 1849 está passando por um dia difícil. “Gal sempre foi uma presença muito grande, não só como filha, mas como uma pessoa que ajudou muito o terreiro”, destacou o publicitário.

Fundado por mãe Maria Júlia da Conceição Nazaré, e atualmente guiado por mãe Carmem, o terreiro lamentou a morte da cantora nas redes sociais. “O retorno de Ègbón Gal Costa à essência deixará saudade em nós todos(as) mas temos a certeza de que seu caminhar no plano espiritual será de Luz e nos braços de Ọlọ́run”, publicou.

A artista foi iniciada na religião e no terreiro pela famosa Mãe Menininha (1922 – 1986). “Ègbón Gal Costa brilhou em sua vida inteira transmitindo amor, alegria, consciência humana e solidariedade através de sua arte, bem como por sua devoção aos Orixás e ensinamentos adquiridos na sua vida religiosa. Seu carinho e admiração pelo Terreiro do Gantois são exemplos a serem seguidos por todo(as) Filhos(as) de Santo da Casa”, concluíram.