Morte de Marília Mendonça preocupou autor e diretor de nova novela das sete

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Novela fala sobre acidente aéreo (Foto: Reprodução/Globo)
Novela fala sobre acidente aéreo (Foto: Reprodução/Globo)

"Quanto Mais Vida, Melhor" nem estreou e já deu dor de cabeça para a Globo. A trama da novela, que terá seu primeiro capítulo exibido no dia 22 de novembro, começa com um acidente aéreo. Os quatro sobreviventes recebem uma "segunda chance" e prometem ser pessoas melhores depois do ocorrido. 

Na vida real, porém, o final nem sempre é feliz. Marília Mendonça morreu aos 26 anos, no auge da carreira, após a queda de um avião na sexta-feira (5). A notícia, ainda muito recente, deixou o país de luto e preocupou o autor e a direção da novela. Será que é o melhor momento para exibir essa história?

Leia também

"O que aconteceu com a Marília Mendonça foi uma fatalidade, uma coisa horrível. Se fosse na ficção, ela estaria viva. A vida escreve roteiros ruins. A gente conversou sobre isso, claro", admite o autor Mauro Wilson, que não teve como mudar o roteiro depois de ter gravado todos os capítulos previamente por causa da pandemia. O último episódio da novela, inclusive, está sendo gravado na tarde desta quarta-feira (10) nos Estúdios Globo.

"Mudar isso hoje seria impossível. Além de detonar toda a novela, é um assunto recorrente entre os personagens. Mas a morte não representa o fim, como a gente sempre pensa. A morte é o destino. É algo que vai modificar a vida dessas pessoas. O acontecido é terrível, mas para a novela é outra coisa", completa o escritor, garantindo que a trama será leve e muito divertida.

Allan Fiterman, diretor de "Quanto Mais Vida, Melhor", também comentou sobre a morte de Marília Mendonça em bate-papo com a imprensa nesta quarta (10). Segundo ele, existe uma preocupação com a recepção do público em um primeiro momento. As alterações não foram feitas nos episódios, mas as chamadas já estão com um tom diferente na TV aberta.

"A gente ficou muito triste. O que a gente pensou nesse momento muito próximo [da morte da cantora] é não vincular as chamadas da novela ao acidente aéreo. Na trama, o acidente é retratado simplesmente como um gatilho para eles voltarem à vida. É uma novela totalmente diferente de tudo que já fiz na minha carreira", explica, feliz com o resultado.

A inspiração para a novela

Mauro Wilson conta que pensou em escrever sobre pessoas que recebem uma "segunda chance" depois que ele mesmo teve essa sensação. O escritor engasgou em casa, sozinho, e achou que fosse morrer naquele dia. Segundo ele, muitos pensamentos passaram pela sua cabeça naquele momento e serviram para que ele voltasse a viver dando mais valor a tudo que construiu.

"Pensei em tudo que eu ia perder, os momentos com meus filhos e a minha família. Aí veio aquilo de 'segunda chance'. A Globo sempre falou comigo disso virar uma novela porque tinha uma ideia muito forte dentro de mim. Quando acabei a série 'Ilha de Ferro', ofereci para a emissora e consegui", afirma.

Mauro diz que a intenção é reforçar ao público a importância de viver o hoje. "A gente não pensa nisso, mas temos um tempo aqui. A gente não vai viver para sempre. Ao invés de transformar isso em algo negativo, devemos transformar em positivo. Os personagens, por exemplo, vão tentar consertar o que fizeram de errado e vão entender que isso não é tão fácil assim", diz ele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos