Morte de médica encontrada em hospital foi causada por reação a remédios

Morte de médica segue investigada - Foto: Reprodução/Instagram
Morte de médica segue investigada - Foto: Reprodução/Instagram
  • Morte de médica continua sendo investigada pela polícia de Goiás

  • Jayda Bento teve insuficiência respiratória causada pela mistura de remédios

  • Inquérito descartou a possibilidade de suicídio ou homicídio e recomendou arquivamento do caso

A médica encontrada sem vida em um hospital de Pirenópolis, Goiás, em junho, morreu de insuficiência respiratória causada por reação a medicamentos.

Foi o que constatou a autópsia realizada em Jayda Bento da Souza, de 26 anos, divulgada nesta quinta-feira (3) pelo portal g1.

Jayda foi encontrada sem vida em um banheiro do Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (Heelj) no dia 25 de junho.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Tibério Martins, os exames descartaram as teses de suicídio e de homicídio. O inquérito foi enviado ao Judiciário com sugestão de arquivamento.

"A morte foi acidental pela introdução voluntária dessas substâncias no próprio corpo. A reação não era esperada pela própria médica, pelo que tudo indica", apontou o delegado.

Ainda segundo o laudo, foi descartada a possibilidade de superdosagem do medicamento. Foram as reações químicas da mistura as responsáveis pela insuficiência respiratória.

Já nos últimos meses, durante a investigação, foi constatado que Jayda usou um anestésico de curta duração, utilizado, normalmente, em exames de endoscopia.

Entenda o caso

Jayda foi localizada morta no banheiro do hospital ao lado de um frasco de remédio e uma seringa.

A vítima foi encontrada pelos colegas de trabalho no sábado (25), próximo ao horário em que deveria assumir o plantão na unidade.

"O pessoal abriu a porta do quarto [em que ela estaria] e ouviu a torneira ligada no banheiro. Bateram na porta, ela não respondia, então arrombaram e encontraram o corpo dela lá", disse o delegado.