Morte de Elizabeth 2ª afeta até previsão do tempo e decisão sobre juros no Reino Unido

LONDRES, INGLATERRA (FOLHAPRESS) - O que o serviço nacional de meteorologia, uma sex shop e o Banco da Inglaterra podem ter em comum? Em meio ao respeito ao luto nacional, mas também no afã de reverenciar a rainha Elizabeth 2ª, que morreu na última quinta (8), aos olhos de alguns britânicos talvez essas instituições tenham ido um pouco além do esperado.

O Met Office, serviço oficial de meteorologia do Reino Unido, tomou uma decisão que pode ser descrita como mais realista que o rei. A agência anunciou que suspenderia parte dos boletins dea divulgação da temperatura para demonstrar respeito à rainha. "Estamos entristecidos com a morte de Sua Majestade, a rainha Elizabeth 2ª. Nossos pensamentos estão com sua família e todos aqueles afetados pela notícia", dizia a nota.

A informação surpreendeu muitos ingleses, que se manifestaram no Twitter. "Isso não é sinal de respeito. É falha do serviço público. Todos os serviços devem se manter", escreveu Teresa Bridgeman. "Cancelar o tempo é o passo correto a ser dado. É o que ela gostaria que acontecesse", ironizou Frances Weetman.

O Met Office logo voltou atrás com explicações, dizendo que havia sido mal compreendido. "Como símbolo de respeito durante esse período de luto nacional, nós iremos divulgar apenas a previsão diária e avisos de segurança", tuitou, para em seguida se retificar uma segunda vez.

"O uso da palavra 'diária' pode ter dado a falsa impressão de que publicaremos só uma vez por dia. Sempre foi nossa intenção fornecer previsões e avisos sobre os dias seguintes, várias vezes ao dia. É correto nesse momento de tristeza pausar outros conteúdos não operacionais. Lamentamos a confusão."

Nas ruas, parece que fazia parte da operação London Bridge (ponte de Londres), plano com os todos os procedimentos a serem adotados após a morte da rainha, solicitar às lojas britânicas que abaixassem o volume da música em seus ambientes. Na sexta-feira (9), a reportagem constatou a ausência completa de música ou rádio em muitas das lojas na região do Palácio de Buckingham, inclusive a Zara próxima à estação Victoria.

Mas a loja de produtos eróticos Ann Summers achou isso pouco. Incluiu em seu site uma foto da soberana com o texto "Descanse em paz, rainha Elizabeth 2ª. 1926-2022. Obrigado, Majestade." E logo abaixo da jovem Elizabeth figura uma série de produtos eróticos femininos que tornam a homenagem um tanto quanto bizarra.

Outro passo surpreendente foi dado pelo Banco da Inglaterra, que faz as vezes de Banco Central do Reino Unido. No dia em que a rainha morreu, era esperado um aumento dos juros para 2,25%, a maior taxa dos últimos 14 anos. Mas a casa cancelou a reunião e resolveu aguardar a próxima, duas semanas depois, em 22 de setembro.

No mês passado, o banco já havia aumentado os juros em 0,5 ponto percentual após uma dessas reuniões, o que não acontecia desde 1995 -analistas esperam que o próximo seja novamente de 0,5 ponto.

O aumento busca atacar a inflação e manter os preços sob controle. Juros mais altos significam menos empréstimos e menos dinheiro para gastar, combatendo a alta de preços. Mas discute-se o quanto isso seria efetivo quando a crise é global, causada principalmente pela Guerra da Ucrânia. Economistas sugerem que o Reino Unido entrará em recessão ainda neste ano.