OMS envia ao Brasil 3,5 milhões de vacinas contra febre amarela

Genebra, 30 mar (EFE).- A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou ao Brasil 3,5 milhões de vacinas contra a febre amarela para ajudar o país a combater o surto da doença que teve início em janeiro e provocou 144 mortes, informou o órgão nesta quinta-feira.

O Brasil, com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), trabalha para garantir a proteção da população e prevenir a expansão do vírus da febre amarela. As autoridades estão realizando campanhas de vacinação em vários estados, reforçando a vigilância e o atendimento dos casos em todo o país.

Mais de 18,8 milhões de vacinas já foram distribuídas, e a OPAS disponibilizou mais de 15 especialistas através da Rede Global de Alerta e Respostas - agências internacionais, governos, universidades e outras entidades - para apoiar com assistência técnica o governo federal na gestão do surto da doença.

No último dia 14 de março, o Brasil solicitou formalmente à OMS as 3,5 milhões de doses da vacina contra a febre a amarela, que chegaram ao Rio de Janeiro no último dia 24 para que possam ser utilizadas nas campanhas do próprio Rio, São Paulo e Bahia.

As doses vieram da reserva para emergências da OMS e foram levadas ao país pelo Grupo Internacional de Coordenação (IGC). Esse órgão coordena um total de 6 milhões de vacinas contra febre amarela, um estoque que é reposto continuamente.

O IGC inclui quatro agências: a própria OMS, o Unicef, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e o Médicos Sem Fronteiras (MSF).

O Brasil reembolsará o custo das 3,5 milhões de vacinas através da reserva de emergência para a febre amarela financiada pela Aliança Mundial para a Vacinação e a Imunização (GAVI).

A OMS também ajuda outros países endêmicos com suas estratégias para a eliminação de epidemias de febre amarela.

A implementação da estratégia global é coordenada junto com o Unicef e GAVI. O objetivo é assegurar o apoio necessário para que os países possam responder a surtos urbanos com um elevado risco de contágio internacional.

No ano passado, foram distribuídas 30 milhões de vacinas contra a febre amarela da reserva de emergência da OMS ao Congo e a Angola devido a surtos da doença. EFE