Jovem que teve manchas roxas pelo corpo morreu por bactéria da meningite

Família suspeita de negligência médica e registra boletim de ocorrência. (Foto: Reprodução/Facebook)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Jovem que teve manchas roxas após ir ao PS morreu por “meningococcemia”

  • Provocada pela mesma bactéria da meningite, a doença desencadeou uma hemorragia na glândula supra-renal

A jovem de 23 anos que morreu após apresentar manchas roxas pelo corpo ao tomar uma medicação no PS (Pronto Socorro) na Praia Grande, no litoral de São Paulo, teve um quadro de meningococcemia. A doença é provocada pela bactéria meningococo, a mesma da meningite.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

O laudo com a causa da morte de Oberleide Rosario de Jesus foi emitido pelo Serviço de Investigação de Óbito da Prefeitura de Praia Grande, conforme informou o portal G1. Segundo a Secretaria de Saúde Pública do Estado de São Paulo, a doença provocou uma hemorragia na glândula supra-renal na jovem.

Leia também

Diferente da meningite, onde a inflamação ocorre nas meninges no cérebro, a meningococcemia é a infecção generalizada. A transmissão se dá por via respiratória.

Oberleide morreu no pronto-socorro Quietude na última quarta-feira (31) depois de tomar medicamentos o local e ficar com manchas roxas pelo corpo, em Praia Grande, no litoral sul de São Paulo.

De acordo com familiares, ela procurou o PS na última terça (30) com febre e dor de cabeça. Medicada com dipirona, ela chegou a voltar para casa, mas teve febre e teve de ser levada novamente pelo marido e pelo cunhado ao pronto-socorro às 5h de quarta.

Familiares registaram um boletim de ocorrência contra o hospital para que o caso seja investigado. Procurada pelo G1, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que aguarda a emissão do laudo para adotar as medidas cabíveis na investigação do caso.

A jovem morava em Praia Grande havia cinco meses por conta do casamento. Ela era natural de Fátima, na Bahia, e procurava um emprego no litoral paulista. O corpo da jovem foi levado para sepultamento na Bahia graças a uma vaquinha feita pela família.

Segundo a família, que suspeita de negligência médica, lá teriam dado mais medicamentos para ela, e logo após, começou a apresentar essas manchas roxas pelo corpo todo, sentindo uma espécie de queimação.