Morte misteriosa de irmãs sauditas encontradas um mês depois intriga autoridades australianas

Sisters Asra Abdullah Alsehli, 24, and Amaal Abdullah Alsehli, 23
Asra Abdullah Alsehli (left) and Amaal Abdullah Alsehli

A polícia australiana está perplexa depois que os corpos de duas mulheres sauditas, que ficaram desaparecidas por um mês, foram encontrados em um apartamento na cidade de Sydney.

As irmãs Asra Abdullah Alsehli, de 24 anos, e Amaal Abdullah Alsehli, de 23, foram encontradas mortas no dia 7 de junho em camas separadas numa casa localizada no subúrbio de Canterbury.

A polícia, que foi chamada à propriedade para uma verificação de rotina, acredita que as mulheres tenham morrido no início de maio.

Porém, apesar de "extensas investigações", as autoridades ainda não sabem como ou por que isso ocorreu.

De acordo com o jornal local The Sydney Morning Herald, as irmãs se mudaram da Arábia Saudita para a Austrália em 2017 e podem ter procurado asilo. A polícia se recusou a confirmar essa informação, dizendo que não comenta sobre o status residencial das pessoas no país.

Uma organização de direitos humanos declarou que alguns fatos precisam ser esclarecidos — como a suspeita de que as mulheres saíram da Arábia Saudita por causa de violência doméstica ou por conta das leis duras do país. No entanto, não há evidências de que esse seja o caso.

A polícia australiana informa que entrou em contato com os familiares das mulheres, e eles estão cooperando com a investigação.

Lina al-Hathloul, chefe de monitoramento e comunicações da ALQST, uma organização saudita de direitos humanos, disse que esse "não seria o primeiro caso" de mulheres sauditas que foram mortas no exterior depois de fugir da violência doméstica.

"Não há proteção para mulheres vítimas de violência doméstica na Arábia Saudita, então elas fogem para o exterior", disse à BBC.

"Não estou dizendo que esse é o caso aqui, mas precisamos de uma investigação completa. É frustrante não ter nenhuma informação", acrescentou.

De acordo com o Sydney Morning Herald, havia sinais de que algo estava errado com as duas irmãs.

No ano passado, as mulheres disseram ao zelador do prédio onde viviam que suspeitavam que alguém estava mexendo em suas entregas de comida, informou o jornal.

Um encanador que visitou o apartamento também disse acreditar que havia "algo misterioso" acontecendo e que a polícia havia sido chamada no passado por causa de preocupações com as duas irmãs.

A polícia do Estado de Nova Gales do Sul emitiu um apelo ao público, dizendo que "qualquer informação" pode ser primordial para resolver o caso.

"A comunidade local é muito unida", afirmou a polícia em comunicado, pedindo a qualquer um que possa ter conhecido ou visto as mulheres se apresente.

Uma reportagem veiculada pela emissora australiana ABC em 2019 descobriu que 80 mulheres sauditas tentaram buscar asilo na Austrália nos últimos anos.

Muitas delas estavam fugindo do país por conta das leis que restringem liberdades femininas e exigem a tutela masculina para muitas ocasiões.

- Este texto foi publicado em https://www.bbc.com/portuguese/internacional-62346028

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos