Morte de Tom Veiga, o Louro José, é notícia no exterior

·1 minuto de leitura

A comoção nacional pela morte de Tom Veiga, intérprete do Louro José, repercutiu na imprensa internacional. O jornal Washington Post fez uma reportagem em que diz ser extraordinário que a 'dor nacional seja desencadeada pelo falecimento de uma marionete.'

A publicação fala do AVC sofrido por Tom, a quem chama de titereiro (aquele que manipula fantoches), e que por "mais de duas décadas, seu pássaro verde e amarelo foi cômico no programa “Mais Voce”. O programa foi uma fonte bem-vinda de leveza em um país acostumado a notícias de violência, desigualdade e turbulência política e econômica". O jornal ainda cita a atração especial um dia depois da morte de Tom, em que Ana Maria Braga, emocionadíssima, dizia se sentir como uma mãe que perde um filho, um companheiro.

A publicação, inclusive, ouviu J.B. Oliveira, o Boninho, que já dirigiu o “Mais você”: “O bichinho colorido ganhou humanidade e foi visto por todos, espectadores e visitantes, como uma pessoa real”, disse Oliveira, que exaltou a “genialidade e criatividade de Tom Veiga” em fazer com que adultos interagissem com o fantoche. De acordo o jornal, a emissora não se planeja encontrar um novo ator para trazer Louro José à vida.