Mortes de ciclistas no Peru quase dobraram em 2020 devido à pandemia

·1 minuto de leitura
Vista aérea de estradas vazias em Lima, em 9 de abril de 2020, durante o isolamento social obrigatório decretado pelas autoridades em meio à pandemia de coronavírus, em imagem divulgada pelo Ministério do Interior do Peru

O número de ciclistas mortos em acidentes nas ruas peruanas em 2020 quase dobrou em relação ao ano anterior, coincidindo com o uso da bicicleta como principal alternativa ao transporte público durante a pandemia, informou a polícia nesta segunda-feira (28).

Já ocorreram este ano 15 acidentes fatais com bicicletas em todo o país, contra oito em 2019, observou a Divisão de Acidentes de Trânsito da polícia em um relatório anual.

Este número "revela o aumento do uso de bicicletas", disse o coronel Oljer Benavides Ponce de León, chefe da unidade policial, ao canal de televisão N.

O descumprimento das normas de trânsito e a imprudência dos ciclistas, segundo a polícia, foram a causa da maioria dos acidentes.

Reclamações contra ciclistas por não respeitarem os semáforos e invadirem as calçadas têm sido comuns na imprensa nos últimos meses.

Lima lançou uma rede temporária de ciclovias em junho justamente para promover um modo de transporte urbano alternativo durante a pandemia.

A malha cicloviária da capital peruana chega a 46 km e conecta vários de seus 43 bairros, de acordo com a prefeitura de Lima.

O governo do Peru destacou que a bicicleta é o veículo que oferece mais segurança para evitar o contágio pela covid-19.

As autoridades pedem às pessoas que utilizem máscara e óculos protetores ao pedalar.

ljc/ll/ic/am