Covid-19 causa quase 30 mil mortes no Brasil; são 526.447 infectados

Marcella Fernandes

Após ultrapassar a Espanha e a França nos últimos dias no ranking de países com mais vítimas da pandemia do novo coronavírus e se tornar o quarto na lista, o Brasil atingiu 29.937 mortes, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (1º). Apenas Estados Unidos, Reino Unido e Itália estão na frente do País no número de óbitos.

Segundo o levantamento, são 623 mortes a mais no Brasil do que os contabilizados até este domingo (31), sendo que 220 ocorreram nos últimos 3 dias.  

O total de casos confirmados chegou a 526.447, com 12.247 somados nas últimas 24 horas. Na comparação internacional, o Brasil é o segundo país com mais diagnósticos, atrás apenas dos Estados Unidos, que conta com 1,7 milhão de casos, de acordo com o mapeamento do Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins.

A covid-19 já causou mais de 374 mil óbitos no mundo. São 6,2 milhões de casos confirmados, de acordo com dados atualizados nesta segunda.

No Brasil, o maior número de infecções está no estado de São Paulo, com 111 mil casos e 7.667 mortes. Em seguida, aparecem Rio de Janeiro, com 5.462 óbitos, Ceará (3.188), Pará (2.925) e Pernambuco (2.875).

Os dados mais recentes reforçam o agravamento da crise sanitária no País. Por 7 vezes, o total de mortes confirmadas de um dia para o outro foi acima de mil.

A primeira vez em que isso ocorreu foi em 19 de maio, com 1.170 óbitos confirmados em 24 horas. O número também foi um marco na evolução diária da pandemia quando comparada a outros países. Superou o total de 919 mortes confirmadas de um dia para o outro no fim de março na Itália, um dos principais epicentros na Europa da crise sanitária e um dos cenários mais dramáticos da pandemia até então.

Dois dias depois, na quinta-feira (21), foi registrado o recorde de confirmações de vítimas da doença em um intervalo de 24 horas: 1.188.

Há uma semana, em 25 de maio, foi atingido um novo...

Continue a ler no HuffPost