Mortes diárias de Covid-19 dos EUA voltam a superar 3 mil em meio a corrida para distribuir vacina

Susan Heavey
·1 minuto de leitura
Pessoas usando máscaras fazem fila para receber alimento em Nova York

As mortes diárias causadas pela Covid-19 passaram de 3 mil pela terceira vez em uma semana nos Estados Unidos, mas o Congresso avançou rumo à aprovação de um pacote de auxílio financeiro longamente aguardado e o programa de vacinação em expansão do país ofereceu alguma esperança.

A cifra de 3.102 mortes de terça-feira, a terceira mais elevada desde o início da pandemia, elevou o número acumulado de fatalidades do país a 304.187, de acordo com uma contagem da Reuters. O total de 16,7 milhões de infecções representa cerca de 5% da população norte-americana.

As inoculações da vacina contra Covid-19 recém-aprovada entraram em seu terceiro dia nesta quarta-feira e se destinam a médicos, enfermeiros e outros profissionais da linha de frente, assim como a moradores e funcionários de casas de repouso.

Leia também

A vacina, desenvolvida pela Pfizer e pela parceira alemã BioNTech, obteve uma autorização de uso emergencial na sexta-feira, e uma segunda vacina da Moderna pode obtê-la igualmente nesta semana.

Autoridades dos EUA almejam entregar 2,9 milhões de doses até o final da semana, mas vários meses se passarão até que as vacinas possam ser obtidas pelo público em geral.

Outras 2 milhões de doses da vacina da Pfizer e 5,9 milhões de doses da vacina da Moderna podem ser alocadas na semana que vem, disse o secretário norte-americano de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar, em uma videoconferência com a imprensa nesta quarta-feira. Duas doses das vacinas, administradas com três ou quatro semanas de intervalo, serão necessárias para que cada pessoa seja imunizada.

da Reuters, por Susan Heavey, Manas Mishra, Anuran Maan, Lisa Shumaker e Richard Cowan