Mortes em confronto sobem e homicídios dolosos mantêm mesmo patamar, segundo ISP

No ano passado, foram 145 mortes em confronto com a polícia no mês, segundo dados divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP)

RIO - O Rio teve, em 2020, o maior número de autos de resistência (morte por intervenção policial) registrados no mês de fevereiro desde o início da série histórica para o crime, em 1998. Foram 164 casos, uma média de quase seis por dia, ou um a cada quatro horas. No ano passado, foram 145 mortes em confronto com a polícia no mês. O aumento, se comparado fevereiro deste ano com o de 2019, foi de 13%. Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP).

Já o número de homicídios dolosos, crime que vem em grande queda em todo o país desde 2019, manteve-se inalterado. Foram 323 casos em fevereiro de ambos os anos. Se somados os índices dos dois primeiros meses de 2020, houve uma pequena redução de 5%. Foram 672 casos em 2020 contra 709 em 2019.

Os roubos de cargas também caíram no Rio. Foram 418 ocorrências em fevereiro de 2020 contra 645 em 2019, queda percentual de 35%. A redução é, em média, de nove casos por dia.

Os roubos de veículos também apresentaram queda na comparação mensal. Em fevereiro deste ano, foram 2.925 contra 3.554 casos no mesmo mês do ano passado, uma diminuição de 18%.