Mortos por inundações no Peru chegam a 97

Moradores de Piura, a 1.000 quilômetros ao norte de Lima, caminham pelas ruas alagadas, em 27 de março de 2017

Os mortos pelas inundações devido ao fenômeno climático El Niño Costeiro, que afeta o Peru desde o início do ano, chegam a 97, informou nesta quarta-feira o governo, que continuava resgatando pessoas isoladas após a cheia dos rios.

O novo balanço emitido pelo Centro de Operações de Emergência Nacional (Coen) elevou para sete o total de pessoas que faleceram desde sábado, depois que a região de Piura foi alvo das chuvas mais intensas nas últimas décadas, inundando a cidade de quase dois milhões de habitantes.

O número de desabrigados em todo o país foi atualizado para 124.161 e o de afetados para 813.239, afirmou o COEN, que informou que 182.116 casas foram destruídas.

As autoridades peruanas assinalaram que nas últimas 48 horas em Piura mais de 5.000 pessoas foram ajudadas pelas Forças Armadas durante operações de resgate e trabalhos de evacuação de zonas inundadas.

O envio de milhares de militares como socorristas tem sido constante no Peru, nas quase doze semanas que duram os temporais na costa norte do país.

O aquecimento das águas deu passagem para o El Niño Costeiro, que gera uma grande evaporação e fortes chuvas. Estas provocam as cheias dos rios e deslizamentos de terra e pedras, conhecidas no país como "huaicos".