Moscou critica 'remilitarização' da Alemanha

O Ministério russo das Relações Exteriores criticou nesta sexta-feira (3) um projeto da Alemanha para seu exército e considerou que se trata de uma "remilitarização", termo que remete ao período nazista (1933-1945).

O governo e a oposição conservadora alemã acordaram no final de maio uma mudança nas regras orçamentárias estabelecidas pela Constituição para liberar 100 bilhões de euros para modernizar suas forças armadas, no contexto da ameaça russa.

"Vemos isso como mais uma confirmação de que Berlim está a caminho de uma nova remilitarização. E já sabemos como isso pode acabar", lançou a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova.

Essa afirmação pode ser entendida como uma comparação com o período de rearmamento da Alemanha nazista na década de 1930, que desencadeou a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A ofensiva russa na Ucrânia foi um choque para um país adepto do pacifismo nas últimas décadas.

Assim, a medida adotada pela Alemanha representa uma importante mudança na política do país, que nos últimos anos evitou atender aos compromissos orçamentários da Otan, o que lhe rendeu críticas dos Estados Unidos.

A Alemanha reduziu consideravelmente e efetivo de suas forças armadas desde o fim da Guerra Fria, de 500 mil pessoas durante a reunificação do país em 1990 para cerca de 200 mil hoje.

Por outro lado, os militares destacaram em várias ocasiões os problemas de seus navios, tanques e aviões.

bur/mba/grp/eg/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos