Moscou denuncia restrições 'hostis' da Lituânia ao trânsito para território russo

A diplomacia russa denunciou nesta segunda-feira a introdução de restrições "hostis" ao trânsito ferroviário de mercadorias através da Lituânia para seu território de Kaliningrado, como resultado das sanções da União Europeia adotadas após a ofensiva da Rússia contra a Ucrânia. Kaliningrado fica no Mar Báltico, fora do restante do território continental russo, entre a Lituânia e a Polônia.

Jens Stoltenberg: Chefe da Otan alerta para guerra longa na Ucrânia

Contra a Rússia: Parlamento da Ucrânia aprova restrições para reprodução de músicas e publicação de livros russos no país

Assista: TV estatal russa publica vídeos de americanos desaparecidos na Ucrânia

"Exigimos (da Lituânia) o encerramento imediato dessas restrições", disse a Chancelaria de Moscou em comunicado. Se o trânsito "não for totalmente restabelecido, a Rússia se reserva o direito de agir para defender seus interesses nacionais", ressaltou.

A questão alimenta ainda mais as tensões entre a Rússia e os países ocidentais, incluindo as ex-repúblicas soviéticas do Báltico, hoje integrantes da União Europeia e da Otan, que apoiam a Ucrânia desde a invasão russa em 24 de fevereiro.

Um dia após ataque russo matar dois: Zelensky vai à linha de frente no Sul da Ucrânia

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia chamou os movimentos da Lituânia de "provocativos" e "abertamente hostis" e convocou o encarregado de negócios do país em Moscou para expressar sua condenação. O Kremlin considera que a decisão da Lituânia viola "tudo o que existe", referindo-se a um acordo sobre o acesso a Kaliningrado celebrado com a União Europeia em 2002.

— A situação é mais do que séria e requer uma análise muito profunda antes de formular quaisquer medidas e decisões — disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, a repórteres.

As relações entre a Rússia e os países bálticos são delicadas há anos. A Lituânia foi a primeira república soviética a declarar sua independência em 1990.

— A Lituânia não está fazendo nada, são as sanções europeias que começaram a funcionar a partir de 17 de junho — disse o chefe da diplomacia lituana, Gabrielius Landsbergis.

Yuliia Paievska: Médica que registrou atendimentos em Mariupol com câmera é solta pela Rússia

Nesse contexto, "as mercadorias sancionadas (...) deixarão de ser autorizadas a transitar pela Lituânia", afirmou ele, sublinhando que esta medida foi aplicada de acordo com as "orientações da Comissão Europeia".

Kiev mostrou seu apoio à Lituânia.

— A Rússia não tem o direito de ameaçar a Lituânia — disse o chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, confirmou na segunda-feira que a Lituânia aplica restrições ao trânsito de certos produtos para o território russo de Kaliningrado em observância das sanções que a União Europeia (UE) adotou contra a Rússia.

— A Lituânia não tomou nenhuma medida unilateral de restrição e aplica apenas as sanções da União Europeia — disse o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell.

De acordo com Borrell, as acusações da Rússia contra a Lituânia sobre a implementação de sanções lituanas são "propaganda falsa e pura".

O alto funcionário acrescentou que a UE revisará as instruções aos países do bloco na aplicação de sanções contra a Rússia, mas acrescentou que "a Lituânia não é culpada, não está implementando sanções nacionais".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos