Moscou estende recesso escolar em meio à alta de infecções por coronavírus na Rússia

·1 minuto de leitura
.

MOSCOU (Reuters) - A cidade de Moscou irá estender o recesso escolar de final de ano em uma semana, até o dia 17 de janeiro, esperando estabilizar a situação em relação às novas infecções por coronavírus, e assim evitar novas restrições relacionadas à Covid-19, informou o prefeito da capital russa nesta terça-feira.

A Rússia, que iniciou um programa de vacinação voluntária com a vacina russa Sputnik V no início do mês, tem resistido à imposição de um lockdown rígido como ocorreu meses atrás no país, contando em vez disso com algumas medidas específicas.

O recesso escolar mais longo em Moscou, uma cidade de quase 13 milhões de habitantes, "irá estabilizar a incidência da Covid-19 para um nível mais baixo do que o atual", disse o prefeito Sergei Sobyanin em nota.

"Isso significa que conseguiremos evitar a introdução de novas e indesejáveis restrições em janeiro", acrescentou.

A Rússia reportou 27.002 novos casos de Covid-19 na terça-feira, 5.641 deles em Moscou, levando o número total de infecções para 3.105.037 desde o início da pandemia.

Autoridades também registraram 562 mortes nas últimas 24 horas, levando o número de mortos oficial para 55.827.

(Reportagem de Gleb Stolyarov e Polina Devitt)