Moscovo fecha o cerco a Kherson

A política que Kiev denuncia como de "deportação" vai apertando o cerco. As tropas russas procuram agora casa a casa os habitantes que recusam sair de Kherson para território dominado por Moscovo, antes do embate pelo controlo da cidade com as forças ucranianas.

Por seu lado, um porta-voz do exército ucraniano veio dar conta dos progressos na região, nomeadamente na destruição de material como barcos utilizados no processo de evacuação entre as margens do rio Dniepre.

Kiev assegura também que mais de seis centenas de soldados russos foram abatidos no espaço de 24 horas, assim como mais de uma dezena de drones.

Face às derrotas no terreno, Moscovo intensificou os ataques a infraestruturas energéticas, muitos com recurso a drones.

Pela primeira vez, o Irão veio reconhecer que forneceu estes aparelhos não-tripulados às forças russas, mas "em número limitado" e "meses antes da guerra".