Mostra de dança 'Monstra', com entrada gratuita, volta aos palcos

Foram cem apresentações virtuais da mostra de dança Monstra até a chegada aos palcos. Nascido logo após o início da pandemia de Covid-19, o projeto idealizado pela bailarina Camila Persi tem, finalmente, um encontro presencial com o público. O espetáculo terá sessões no próximo fim de semana, dias 11 e 12, no Teatro Angel Vianna, que fica no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro (Rua José Higino 115, Tijuca). Os ingressos para as apresentações são gratuitos, mas precisam ser retirados pela plataforma Sympla.

Cinema: Com curta sobre a morte do irmão, Alfredo Dias Gomes ganha prêmios internacionais

A vista é de graça: Conheça dois novos restaurantes com cardápio caprichado e paisagem deslumbrante

Diretora artística da mostra, Camila vive um novo momento ao montar o espetáculo pela primeira vez sem pensar através da perspectiva de uma tela.

— A versão presencial do Monstra é importante para a consolidação da retomada do nosso ofício em seu formato tradicional. Ficamos quase dois anos isolados e estamos vivendo este momento de retomada com alegria e expectativa do encontro olho no olho com o público. Foi interessante criar esse projeto, a partir da dança, da performance, da ação e da atitude em relação à câmera, mas agora é uma nova fase que começa — diz.

No momento atual, a mostra de dança disponibiliza para as pessoas com deficiência visual uma audiodescrição do espetáculo através de acesso disponibilizado por QR Code.

— Os recursos de acessibilidades são possibilidades poéticas. É como um enlace entre a estética e a ética, a vida e a arte. A autodescrição tem o objetivo de proporcionar uma melhor comunicação — diz a bailarina e idealizadora do projeto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos