Motivados pelo Talibã, deputados resgatam projeto "antiterrorismo" de Bolsonaro

·1 minuto de leitura
O Congresso Nacional (Foto: Harvey Meston/Archive Photos/Getty Images)
O Congresso Nacional (Foto: Harvey Meston/Archive Photos/Getty Images)
  • A proposta prevê medidas "contraterroristas" e já recebeu críticas de representantes da Organização das Nações Unidas e Polícia Federal

  • Dentre as ações, ficam autorizadas a infiltração de agentes em movimentos organizados no país e uso de identidade falsa

  • O projeto é de autoria do presidente Jair Bolsonaro quando ainda era deputado federal

Diante da realidade do Afeganistão depois que o Talibã assumiu o controle do país, deputados querem recuperar a análise de um projeto do presidente Jair Bolsonaro, quando ainda era deputado federal. As informações são do jornal O Globo.

A proposta prevê medidas "contraterroristas" e já recebeu críticas de representantes da Organização das Nações Unidas e também da Polícia Federal.

Dentre as ações, ficam autorizadas a infiltração de agentes em movimentos para monitorar o que está sendo organizado, uso de identidade falsa e outras medidas de formação de agentes públicos contra o terrorismo.

Leia também:

O texto foi apresentado há cinco anos e o relator, deputado Sanderson (PSL-RS), afirmou que o Brasil precisa ficar "em alerta".

De acordo com o jornal O Globo, o representante do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos na América do Sul, Jan Jarab, avaliou quais podem ser as consequências para a sociedade civil organizada.

Segundo ele, a proposta atinge movimentos sociais ao destacar que as medidas podem ser colocadas em prática até em relação a atos “não tipificados como terrorismo”, mas que sejam considerados perigosos para a vida humana.

O representante do Alto Comissariado da ONU criticou ainda a autorização para disparos em alguns casos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos