Motorista de aplicativo cria iniciativa de compartilhamento de 'boas mensagens' durante suas corridas

·3 minuto de leitura

Usar os momentos de calmaria das viagens de Uber para alegrar o dia das pessoas. Foi este desejo que fez Victor Hugo, motorista do aplicativo, criar uma tradição em suas corridas: o compartilhamento de mensagens positivas entre seus passageiros. Além de adesivos com frases motivacionais coladas no teto do veículo, há caixas com cartões coloridos para que os interessados deixem seus recados para os que virão depois.

O morador de Trindade, em São Gonçalo, conta que a iniciativa surgiu em julho deste ano, após sentir que as pessoas precisavam se manter mais animadas em suas rotinas.

— Reparo muito nas pessoas, até fora do trabalho, e há algum tempo percebo que não estão mais felizes. Vejo elas tristes e angustiadas, então pensei em criar um projeto para que pudesse, ainda que de maneira pequena, melhorar o dia delas — diz o motorista, que deu o pontapé inicial do movimento após se solidarizar com uma passageira: — Fiz uma viagem em que uma senhora me pediu para levá-la ao hospital, estava indo visitar a mãe que poderia ter seus últimos dias de vida. Fiquei por uma semana pensando naquilo, e em como uma mensagem bonita poderia tornar o momento menos doloroso.

Aos 34 anos, ele conta que seu trabalho se tornou mais emocionante após a ideia, chamada de "A mensagem do bem", e que foi bem aceita desde seu início, tendo poucas recusas durante sua existência. A abordagem é feita com Victor dizendo ao passageiro que quem estava no carro a deixou um presente, a partir daí mostra uma mensagem explicando seu projeto e perguntando se há o interesse em participar.

— Uma ou outra pessoa não escreve, mas no geral as reações são boas. A primeira pessoa foi uma menina de 10 anos, que pegou um cartão e escreveu "que seu dia seja muito abençoado", logo depois uma senhora entrou no carro e achou o que leu. Muitas vezes esse pequeno gesto os leva a contar histórias de vida e se sentirem mais confortáveis, são muitas emoções — diz: — Já aconteceu da pessoa chorar a ponto de não conseguir escrever.

O sucesso foi tanto entre os passageiros, que o motorista criou uma página no Instagram para compartilhar as mensagens e incentivar outros projetos do estilo:

— Uma das primeiras mensagens foi feita por um senhor de idade, fez até um desenho. Eu achei aquilo tão bonito que liguei pra minha esposa e ela me incentivou a compartilhar as criações. Uma passageira também me disse o mesmo, e tem dado certo. É uma forma de guardar o carinho de todos e mostrar para as pessoas, e a mensagem não se tornar limitada ao meu carro, às vezes você está nas redes sociais e pode ser tocado por uma das fotos.

Hoje o perfil, que exibe a maioria das mensagens escritas, conta com mais de 1000 seguidores.

A iniciativa acabou trazendo mais alegria até para o próprio Victor, que não estava feliz em seu antigo trabalho de operador de câmbio, que exercera por dez anos. Antes das mensagens, achou que se vestir de palhaço durante as corridas poderia ser uma saída, mas sem coragem de usar a fantasia, acabou bolando o projeto da troca de mensagens.

— Não estava realizado com o emprego, então chegou a pandemia e por alguns meses conciliei os dois trabalhos. Depois de um tempo pedi para me demitirem e me dediquei ao aplicativo. A ideia era trabalhar de palhaço, levar uns pedaços de bolo e uns aparatos pra fazer umas graças, mas fiquei com muita vergonha. Hoje em dia já gosto mais de distribuir cartão do que dirigir — brinca.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos