Motorista do 'barraco do Leblon' distribui brinquedos na Zona Oeste

Gisele Barros
Conhecido por "barraco do Leblon", o engenheiro Wilton Vaccari distribuiu bolas, bonecas e carrinhos a crianças em Curicica
Conhecido por "barraco do Leblon", o engenheiro Wilton Vaccari distribuiu bolas, bonecas e carrinhos a crianças em Curicica

Famoso por ter se envolvido no episódio do "barraco do Leblon", o engenheiro Wilton Vaccari foi com seu carro conversível até Curicica, na Zona Oeste do Rio, para realizar um ação social no Dia das Crianças nesta segunda-feira. Ele distribuiu bolas, bonecas e carrinhos a cerca de 50 crianças que moram na região. A ação incluiu ainda piscina de bolinhas, pula-pula na rua e um bolo pra os pequenos. O local foi escolhido por sugestão de um amigo de Wilton, que mora na bairro.

O engenheiro garante que faz ações sociais todo ano - geralmente organiza a distribuição de cestas básicas - e, por isso, diz que não tem receio de parecer oportunista.

- A vida não é só curtir. Estou com saúde, podendo trabalhar, tenho que agradecer. A gente sabe que a situação está difícil então qualquer alegria que a gente puder proporcionar é importante. A pandemia ensinou muita coisa. Vimos muitas pessoas ajudando o próximo, por isso acho mais válido aparecer ajudando alguém. Não me importo com quem diz que sou oportunista. Quem me conhece sabe que eu faço isso sempre - conta.

Sobre a exposição após o episódio na Rua Dias Ferreira, o engenheiro garante que, apesar das críticas, também tem colhido bons frutos da fama repentina que ganhou. Ele conta que não pretende seguir carreira artística, mas não descarta atuar ba política.

- Nunca fui de me expor muito, foi algo que aconteceu. Aumentou o número de críticos, mas faz parte. No geral, 99% das pessoas que me procuraram vieram me defender -  ressaltou.

Ainda sobre a confusão na Dias Ferreira, Wilton diz que agora aguarda o fim do inquérito da Polícia Civil do Rio.

- Sei que a arquiteta esteve na delegacia e não falou nada. Agora estamos aguardando o fim do inquérito para saber se ela vai ser penalizada na Vara Criminal. Depois disso, a gente vai entrar na Vara Cível, solicitando danos morais.