Motorista de caminhão fura pedágio cobrindo placa com máscara

ALFREDO HENRIQUE
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quatro caminhões com históricos de passar por pedágios sem pagar foram abordados pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), na madrugada desta quarta-feira (16), na região de Jacareí (84 km de SP). Um deles é suspeito de 652 evasões, acumulando uma dívida de R$ 42.413, segundo a concessionária que administra a rodovia presidente Dutra. Outro cobria a placa com máscara de proteção contra a Covid-19. Entre janeiro e novembro deste ano, segundo a CCR Nova Dutra, foram registrados 568.250 casos de evasões de pedágios em 402 quilômetros da via, entre São Paulo e Rio de Janeiro. A concessionária não informou os dados do ano passado. Além do veículo com 652 evasões registradas, a PRF também flagrou três caminhões trafegando com suas placas encobertas, com o intuito de não serem registrados por câmeras de monitoramento, após os suspeitos burlarem as cancelas de pedágio. Um dos caminhões, ainda segundo a PRF, encobria as placas com máscaras, semelhantes às usadas para se prevenir da Covid-19. Outro tapava a identificação do caminhão com uma lata de refrigerante cortada. Já o terceiro veículo estava com as placas dobradas, dificultando a visualização delas. Segundo imagens de vídeo enviadas pela CCR, alguns motoristas "atropelam" as cancelas. Já outros ficam colados na traseira de condutores que passam pelas catracas automáticas do sistema pré-pago de pedágio. "Esses procedimentos colocam todos em risco", afirmou Diego Dutra, coordenador de interação ao cliente da CCR. Fábio Teodoro de Souza, chefe da PRF de São José dos Campos, afirmou que, dependendo do contexto, motoristas que encobrem as placas de seus veículos podem ser autuados por estelionato. "Todos os veículos abordados nesta quarta contam com históricos de evasão", acrescentou. Os três motoristas flagrados com as placas encobertas foram indiciados pelo crime de adulteração de sinal identificador de veículo automotor. Os veículos foram encaminhados ao 2ª DP de Jacareí, onde os suspeitos foram ouvidos e em seguida liberados, da mesma forma que o motorista suspeito de cometer mais de 600 infrações. A defesa deles não havia sido localizada até a publicação desta reportagem.