Motorista embriagado que matou advogada é condenado a seis anos

Lima bateu no carro de Carolina Menezes, causando a morte da vítima. Foto: Pixabay

O motorista que causou a morte de uma mulher ao colidir seu carro com o da vítima em julho de 2011 foi condenado pela Justiça de São Paulo a seis anos de reclusão em regime inicial semiaberto na terça-feira (26). O júri foi presidido pela juíza Giovanna Christina Colares.

De acordo com a denúncia apresentada pelo MP-SP (Ministério Público de São Paulo), o empresário Marcelo Malvio Alves de Lima dirigia embriagado e em alta velocidade pelas ruas do bairro Itaim Bibi, zona sul de São Paulo, quando seu Porsche colidiu com o carro da advogada Carolina Menezes, de 28 anos.

Os dois carros se colidiram no cruzamento das ruas Tabapuã e Bandeira Paulista. Por conta dos ferimentos causados na batida, Carolina morreu. Sendo assim, os jurados acataram a tese da promotoria de que o empresário agiu com dolo eventual. Ou seja, aquele no qual o autor não tem a intenção de matar, mas que, com sua conduta, assumiu o risco de matar.

Leia também:

Laudos periciais da época do crime mostraram que o Lima estava dirigindo a 116 km/h. A via, no entanto, tinha limite de 60 km/h. Logo depois do caso, ele chegou a ser detido, mas pagou uma fiança de R$ 300 mil e passou a responder pelo crime em liberdade.

De acordo com o promotor Rogério Leão Zagallo, que ofereceu a denúncia do caso e atuou no plenário do júri, a decisão dos jurados foi importante. Segundo ele, a condenação pode ajudar a reforçar a ideia de que a pessoa que ingere bebida alcoólica e dirige em alta velocidade pode ser condenado pela Justiça por ter praticado um crime doloso.