Motorista que matou sete na Itália é internado com impulsos suicidas

Homenagens às vítimas são depositadas no local do acidente, em Lutago

O motorista embriagado que atropelou neste domingo 17 pessoas, das quais sete morreram, no norte da Itália foi hospitalizado em uma unidade psiquiátrica, após dizer que queria se suicidar, noticiou nesta segunda-feira (6) a imprensa local.

Segundo diligências da Justiça, que abriu uma investigação, citada no jornal Corriere della Sera, o motorista de 27 anos manifestou "impulso suicida" depois de ter percebido a tragédia que provocou.

O acidente ocorreu na madrugada de domingo na saída da localidade de Lutago (Luttach), próxima à fronteira com a Áustria, situada na região do Alto Algidio, onde os habitantes falam alemão.

Nesta segunda-feira, a imprensa noticiou a morte de uma das 11 pessoas feridas no acidente, uma jovem de 21 anos, de nacionalidade não informada, falecida após ter sido levada de helicóptero a um hospital de Innsbruck, na Áustria.

Com este falecimento, são sete as vítimas fatais do ocorrido, depois de outros seis jovens (três homens e três mulheres) terem morrido na hora.

Após passar a noite em uma boate local, o grupo de esquiadores, com idades entre 20 e 25 anos, acabavam de descer de um micro-ônibus que os levou ao hotel, quando o carro esportivo os atingiu em alta velocidade. Alguns foram jogados a vários metros de distância.

Segundo o ministério público de Bolzano, o motorista foi submetido a exame e apresentou 1,97 g de álcool por litro de sangue, quatro vezes mais que o máximo autorizado (0,5g/l). Ele pode pegar até 18 anos de prisão.