Motorista morre após carro cair em rio durante a chuva em Mauá (SP)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um homem de 56 anos morreu na tarde desta quarta-feira (23), após o carro que dirigia cair no rio Tamanduateí, em Mauá, na região metropolitana de São Paulo. Chovia forte na hora do acidente.

Segundo os bombeiros e a prefeitura, duas pessoas, que estavam no veículo, sendo que uma delas é uma criança, foram socorridas para o Hospital Nardini.

Um homem de 54 anos, irmão do motorista, estava em estado estável, de acordo com a prefeitura. A criança não teve idade nem estado de saúde informados.

A morte do motorista foi atestada por médicos do Samu, segundo os bombeiros.

O carro ficou pendurado em uma ponte na avenida Brasil, no Jardim Santa Lídia, com a parte da frente, a partir do para-brisa, submersa.

Bombeiros tiveram que acessar o veículo por meio de uma corda. Dois deles entraram pela porta de trás esquerda, por onde conseguiram retirar o corpo do motorista, que foi colocado em um bote e levado para a margem.

Próximo onde o carro ficou pendurado havia uma erosão no asfalto e marcas de barro. A perícia investiga as causas do acidente, mas, segundo a Defesa Civil de Mauá, há a suspeita de que o veículo tenha aquaplanado por causa da avenida alagada.

O carro foi retirado da água com um trator. Ele estava com o capô e o teto amassados, além de o para-brisa trincado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, por volta até às 19h42, a corporação havia recebido 41 chamados para quedas de árvores, 13 para inundações ou alagamentos, e cinco para desmoronamento ou desabamento. A maioria em cidades do ABC, onde fica Mauá.

Às 17h30, os bombeiros investigavam um outro afogamento no parque Alvorada, também em Mauá —várias ruas do município, como as do centro, ficaram alagadas.

No início da noite, a Defesa Civil estadual disse que Mauá registrou 78 mm de chuva no período de seis horas. Foi o maior volume na região.

Em Santo André e Rio Grande da Serra foram 73 mm. São Bernardo do Campo registrou 28 mm, Diadema, 16 mm, e São Caetano do Sul, 15 mm.

O maior volume de chuva em Mauá foi nas regiões dos jardins Itapeva e Elizabeth e na Vila São João, bairros próximos ao rio Tamanduateí, onde o veículo caiu, de acordo com a prefeitura.

"Foram identificados dois deslizamentos de terra, sem vítimas, no Jardim Elizabeth e no Jardim Mauá", disse a administração municipal, em nota.

CAPITAL

Segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), da Prefeitura de São Paulo, todas as regiões da capital estavam em estado de atenção para alagamentos às 19h30.

As chuvas têm potencial para alagamentos, granizo e rajadas de vento, e ocorrem de forma isolada e lenta, afirmou o CGE.

Por volta de 19h chovia forte nas marginais, o que complicou a volta para casa do paulistano.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a marginal Tietê, sentido rodovia Ayrton Senna, tinha dois pontos congestionados, um com 7,2 km e outro, com 8, 4 km.

Às 18h30, a cidade tinha 356 km de congestionamentos, conforme a CET. Essa foi a segunda maior marca para o horário no ano, ficando atrás dos 375 km registrados em 28 de setembro, quando também houve chuva forte e alagamentos na cidade.

Também foram registradas rajadas de vento de até 40,7 km/h no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na região metropolitana, no fim da tarde.

A quinta-feira (24), ainda de acordo com o CGE, promete ser chuvosa desde a madrugada.

"Ao longo do dia, as precipitações serão intermitentes com fraca a moderada intensidade", diz, em nota.

A média da temperatura máxima na cidade de São Paulo chegou a 27º nesta quarta. Nesta quinta, os termômetros devem oscilar entre de 17°C e de 22°C.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), chove todos os dias na capital paulista ao menos até o próximo domingo (27).