Motorista que atropelou advogada em protesto contra Bolsonaro é indiciado por tentativa de homicídio

·1 min de leitura

RIO — A Polícia Civil de Pernambuco indiciou por tentativa de homicídio o administrador Luciano Matias, nesta quinta-feira. No dia 2 de outubro deste ano, ele atropelou uma advogada que participava de um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, em Recife. O inquérito foi concluído e enviado ao Ministério Público de Pernambuco, que decidirá se denunciará ou não o motorista.

A vítima Isabela Freitas Sarev chegou a ficar 12 dias internada após o episódio. Ela sofreu uma fratura no tornozelo e precisou passar por uma cirurgia, além de levar pontos na cabeça.

O atropelamento aconteceu por volta das 12h30, na Avenida Martins de Barros, próximo à Ponte Maurício de Nassau, no bairro de Santo Antônio. No momento do episódio, a manifestação já começara a se dispersar. A mulher foi arrastada por alguns metros, antes de ser resgatada por uma ambulância.

Caso Cleo Smith: Suspeito preso é formalmente acusado pelo sequestro de menina de 4 anos na AustráliaNa dia do atropelamento, a vereadora do Recife Dani Portela (PSOL) afirmou que o motorista furou uma barreira antes de atingir a advogada.

— Depois que ela caiu, ele botou o carro por cima dela. Aparentemente proposital. Ela estava com dificuldade de mexer o tornozelo e o quadril. A gente não acredita que seja um acidente — afirmou a vereadora, ao G1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos