Motoristas de aplicativo protestam por morte de colega no bairro São Francisco Xavier

Rafael Nascimento de Souza
·2 minuto de leitura

Pelo menos dez motoristas de aplicativo se reúnem na Avenida Marechal Rondon, no bairro São Francisco Xavier, para protestar pela morte de Gabriel Augusto Maravalhas Paes, baleado após uma tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira. O grupo ocupa duas faixas da via e mostra cartazes com inscrições "motoristas de aplicativo pedem segurança" e "quantas mais vidas vamos perder?”. Eles foram apoiados pelos moradores do prédio que fica em frente ao local onde Gabriel foi assassinado.

Uma das participantes do ato é Claudia Mandarino, de 56 anos, que desde 2017 trabalha como motorista de aplicativo.

— É uma notícia triste, porque um colega sai de casa às 5h para levar o pão de cada dia, e é morto pela falta de policiamento. Nós saímos para trabalhar com receio, temos medo. Infelizmente, evito pegar algumas corridas porque não há segurança — contou.

Luiz Alberto Sousa, de 56 anos, atua no transporte de passageiros há dois anos. Ele conta que também já foi assalto. Há um ano, perdeu o carro e demais pertences na Estrada dos Bandeirantes, na Zona Oeste.

— Eu tive a sorte que o colega não teve. Infelizmente, estamos a mercê — lamentou.

José Marcelo Crisóstomo, síndico do prédio próximo de onde ocorreu o crime, apoiou a manifestação dos colegas de Gabriel.

— A sociedade precisa se mobilizar em busca da segurança. Sabemos que a Polícia Militar não tem estrutura, mas é preciso que as autoridades se atentem ao que está acontecendo. Aqui é saída para diversas comunidades. É preciso inteligência que não se usa. Eu vou apoiar esse ato, porque é uma forma de me manifestar através deles — contou.

A aposentada Zelma Santiago, 64, mora no condomínio há 30 anos. A idosa conta que há pouco mais de um ano o filho foi assaltado na entrada da garagem. Os criminosos levaram o carro e todos os pertences dele.

— Era no final da tarde. Ele só ficou com a roupa do corpo. Aqui sempre acontece assaltos. É uma constância. Infelizmente, o policiamento é muito pouco. Só há patrulhamento quando acontece algo muito grave, como foi a morte do rapaz. É lamentável, mas vivemos presos.

O Portal dos Procurados divulgou, na tarde desta quinta-feira, dia 4, o cartaz pedindo por informações sobre a morte do motorista de aplicativo Gabriel Augusto Maravalhas Paes, de 32 anos, e a respeito dos envolvidos no crime. A polícia busca por pistas que possam auxiliar nas investigações da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

O Disque Denúncia recebe informações sobre o caso nos seguintes canais de atendimento: APP "Disque Denúncia RJ"; no telefone (21) 2253 1177; no WhatsApp Zap do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; no inbox do Facebook (/procuradosrj); e por mensagem no Twitter (@PProcurados). O anonimato é garantido.