Motoristas se unem para lançar app que concorre com Uber e 99

·2 min de leitura
Aplicativo foi nomeado de Me Busca e será um concorrente de Uber e 99
Aplicativo foi nomeado de Me Busca e será um concorrente de Uber e 99

(Getty Images)

  • Motoristas se juntam para criar aplicativo que concorre com Uber e 99

  • Objetivo é garantir melhores condições de trabalho e renda aos motoristas

  • Novidade está prevista para março

Em meio à alta da gasolina e à baixa renda obtida com corridas por aplicativo, motoristas se juntaram para lançar uma plataforma que promete concorrer com gigantes do mercado, como Uber e 99: a Me Busca.

Leia também:

A novidade, prevista para funcionar a partir de março, já obteve milhares de adesões e é, segundo seus gestores, a primeira a surgir de uma iniciativa de autogestão. Quem está por trás do projeto é uma empresa brasileira apoiada pela Associação de Motoboys e Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Ammasp).

"Queremos que os motoristas consigam todas as condições que as empresas não proporcionam: melhores remunerações, mais segurança e mais qualidade de trabalho", afirma à AFP Eduardo Lima, presidente da Ammasp.

O projeto, apontado como pioneiro, foi esquematizado de forma semelhante na Colômbia, mas sem sucesso. No entanto, no Brasil, a expectativa é de que o aplicativo se espalhe em breve por todo o território. As informações são da AFP.

Dificuldades

Em 2021, os combustíveis subiram em média 49%. Além de sofrerem com a alta, os motoristas de aplicativo foram afetados pela inflação de 10,06% e pelos altos preços de manutenção dos veículos, que aumentaram 11%.

"Pelas altas da gasolina, tenho que fazer contas logo para escolher corridas rentáveis, e não acabar dando uma carona para o passageiro", confessa Valmir, que trabalha há três anos com a Uber. Para terminar o dia com saldo positivo, ele passou a verificar a distância que o separa do passageiro e calcular se vale a pena aceitar a chamada. “Virei matemático dirigindo”.

Valmir não é o único afetado pela precarização do trabalho. Segundo Marlon Luz, vereador de São Paulo e representante dos motoristas, os aplicativos “aproveitam o desemprego no Brasil para oferecer baixas remunerações".

É aí que entra o Me Busca para reverter esse cenário. Enquanto as plataformas atuais retêm até 60% do valor da viagem, conforme explica o presidente da Ammasp, o novo aplicativo “vai ter uma taxa fixa e o cálculo é que vai dar ganhos de 2000 a 2200 reais por mês trabalhando as mesmas 70 horas por semana".

Para o motorista Raniel de Queiroz, que se senta ao volante todos os dias após o expediente em uma empresa de tecnologia, a novidade chega como um sopro de esperança para os motoristas que sofrem com a baixa rentabilidade do trabalho.

“Estou torcendo para esse app dar certo, é o que mais quero”, expressa. “Se der, as empresas vão se arrepender de não terem escutado".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos