Motoristas de Uber organizam carreata no Rio contra decreto de Eduardo Paes

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Tela de celular com o aplicativo de transporte Uber. (Foto: Luciano Amarante/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO: Tela de celular com o aplicativo de transporte Uber. (Foto: Luciano Amarante/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Motoristas de aplicativo do Rio de Janeiro organizam uma carreata na quarta-feira (24) no entorno da Câmara dos Vereadores contra decreto do prefeito Eduardo Paes (MDB) para regular o setor.

Pela nova medida, quem trabalha em aplicativos fica obrigado a fazer credenciamento na Secretaria de Transportes.

Para Luiz Correa, presidente do Sindimobi (que representa o grupo), a exigência beneficia ​serviços de táxi e ônibus.

"É como um alvará, com a prefeitura limitando quem pode trabalhar. Isso é muito perigoso", afirma ele.

O decreto também cobra uma taxa de 1,5% sobre o faturamento das empresas pelo uso das vias públicas e exige a contratação de seguros. Correa prevê que tais custos serão repassados aos motoristas, que já sofrem com a alta da gasolina.

A Prefeitura do Rio afirma que a regulação busca atender requisitos da legislação federal e ampliar a fiscalização e a segurança. Também diz que a taxa de uso da via pública será cobrada das empresas, não dos motoristas.