Mourão diz que é preciso manter pressão nas operações da Amazônia e avançar na regularização fundiária

·2 min de leitura

BRASÍLIA — O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou, na manhã desta segunda-feira, que é necessário manter operações militares na Amazônia para pressionar pela redução do desmatamento na região. Morão também disse que é preciso fazer com que o proprietário de terra no bioma entenda que a preservação da floresta será convertida em recursos.

— Tem que manter a pressão nas operações, mas também tem que avançar os outros aspectos. Senão, a gente não consegue resolver o problema. Então, tem que avançar a regularização fundiária, o pagamento dos serviços ambientais, se modo que o proprietário de terra lá ele entenda que tendo 80% da sua área preservada aquilo vai dar um recurso pra ele anualmente. E vai compensar muito mais do que ele estar na ilegalidade e desmatar.

Mourão é presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), que é responsável por coordenar as diversas ações em cada ministério voltadas para a proteção, defesa e desenvolvimento sustentável da floresta. A 7ª reunião do conselho está marcada para acontecer nesta terça-feira em Brasília. Durante o encontro, os ministros deverão apresentar as ações realizadas por suas pastas ao longo do ano para cumprir o planejamento estratégico do conselho. A última reunião do conselho aconteceu em 24 de agosto deste ano.

Na quinta-feira, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou os dados do desmatamento nos 9 Estados da Amazônia Legal Brasileira. Segundo o instituto, o registro feito de agosto de 2020 a julho de 2021 foi o maior para o período desde 2006.

O relatório é do sistema Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) e indica que houve aumento de desmatamento em todos os estados da Amazônia. O Pará foi o estado que mais desmatou o bioma: foram 5,257 km² destruídos, uma contribuição de 39,72% do total registrado. O Tocantins, por sua vez, registrou a menor área destruída: foram 28 km², um percentual de 0,2%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos