Mourão diz que Brasil pode comprar vacina da Pfizer contra Covid-19

Daniel Gullino
·2 minuto de leitura
Pablo Jacob/Agência O Globo/03-11-2020
Pablo Jacob/Agência O Globo/03-11-2020

BRASÍLIA — O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira que o Brasil pode comprar a vacina da Pfizer contra o novo coronavírus. A farmacêutica anunciou que seu imunizante foi mais de 90% eficaz na prevenção da Covid-19. Mourão ressaltou, no entanto, que não participa das discussões dentro governo sobre esse assunto.

— Esse assunto obviamente está ligado ao Ministério da Saúde, à Casa Civil, Presidência da República. Eu não tenho participado diretamente das discussões sobre quais vacinas estão sendo adquiridas, quais vacinas estão na mira do nosso ministério — disse o vice-presidente, em entrevista à rádio Bandnews. — Acredito que essa vacina da Pfizer, uma vez sendo comprovada essa eficiência dela em 90% dos casos, ela terá uma boa prioridade e poderá ser objeto de compra por parte do nosso governo.

A Pfizer Brasil informou ao GLOBO que não há nenhuma parceria acertada entre a farmacêutica e instituições ou governos no país. A empresa afirma que ofereceu a possibilidade de acordo com o governo federal, mas jamais obteve resposta.

Na entrevista, Mourão ressaltou que haverá uma "corrida" para conseguir a vacina e disse que o Brasil deveria investir em um conjunto de imunizantes, desde que tenham sua eficácia comprovada.

— Óbvio que vai haver uma corrida geral em cima da vacina e nós aqui no Brasil, o que eu vejo hoje, nós temos que ter um pool de vacinas, vamos colocar dessa forma, que sejam de qualidade, certificadas pela Anvisa.

No momento, há acordos no país com os imunizantes testados contra a Covid-19 comandados pela Universidade de Oxford e AstraZeneca e pela Sinovac e o Instituto Butantan.

O vice-presidente também afirmou que, pelo que conversa com especialistas, a vacina só deverá estar disponível para a população no segundo trimestre de 2021.

— A maioria dos médicos com quem eu tenho conversado me coloca muito claramente que a partir do segundo trimestre do ano que vem seria o ponto onde nós poderíamos ter uma vacina com eficiência sendo transmitida.