Mourão diz que governo quer estar '100% calçado' para iniciar vacinação de crianças

·2 min de leitura
BRASILIA, BRAZIL - AUGUST 25: Brazilian Vice President Hamilton Mourão looks up after the commemoration of the Day of the Soldier at the military headquarters on August 25, 2021 in Brasilia, Brazil. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
Vice-presidente falou com jornalistas na saída do Palácio do Planalto. Foto: Andressa Anholete/Getty Images.
  • General é a favor da consulta pública, que começa nesta quinta

  • Ele critica estados que já negociam compras com a Pfizer

  • 'Governadores atravessam o samba', disse o vice-presidente

O debate sobre a vacinação de crianças contra a covid-19 continua em Brasília. Nesta quarta-feira (22), foi a vez do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentar sobre a permissão. Para ele, a consulta pública servirá para o governo “estar 100% calçado na hora de iniciar esse processo”.

“O governo está querendo tomar sua decisão. Existem alguns conflitos em relação a esse assunto e ele [governo] quer estar 100% calçado na hora de iniciar esse processo”, afirmou.

O general aproveitou para criticar governadores que já estão se adiantando e negociando por conta própria a aquisição de vacinas da Pfizer, autorizada para crianças de 5 a 11 anos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em São Paulo, por exemplo, o governador João Doria (PSDB) já começou as negociações com a farmacêutica.

“Os governadores, lamentavelmente, às vezes atravessam o samba. Como foi aquela questão da compra daquela vacina russa [Sputnik V] que acabaram não comprando, não é? Então vamos aguardar. Isso aí vai ser feito de forma mais correta possível protegendo a população”, disse.

Consulta pública

A partir desta quinta-feira (23), o governo de Jair Bolsonaro (PL) vai abrir uma consulta pública para que a população opine sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. A determinação foi feita pela Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 e foi publicada nesta quarta-feira (22) no Diário Oficial da União.

A consulta pública será aberta em 23 de dezembro de 2021 e ficará disponível até 2 de janeiro de 2022. Segundo a pasta, o objetivo é que “sejam apresentadas contribuições, devidamente fundamentadas”.

A vacinação em crianças de 5 a 11 anos já foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável por determinar quais imunizações podem acontecer no Brasil. No entanto, o Ministério da Saúde ainda não acatou a determinação e sugeriu a consulta pública – mesmo que a decisão da Anvisa seja técnica.

Parecer da Anvisa

A Anvisa divulgou nesta quarta-feira (22) documentos sobre a aprovação da vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos. Na segunda-feira (20), a agência já havia anunciado que divulgaria os pareceres públicos, mediante aprovação da Pfizer.

A publicação das informações é uma forma de resposta ao Ministério da Saúde, após Marcelo Queiroga dizer que a pasta só se manifestaria quando tivesse os parecerem públicos para analisa-los.

Os documentos mostram a avaliação de risco-benefício ponderada pela Anvisa para aprovar o imunizante para esta faixa etária. O órgão admitiu o uso da vacina no último ia 16, mas o Ministério da Saúde disse que só emitiria um parecer sobre a imunização de crianças a partir de janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos