Mourão não participa de desfile de tanques ao ser alertado por auxiliares: "Inoportuno"

·1 min de leitura
Presidente Jair Bolsonaro, na rampa do Palácio do Planalto, ao lado do ministro da Defesa, Walter Braga Netto
Presidente Jair Bolsonaro recebeu convite para presenciar a Operação Formosa (Foto: Reprodução)
  • Vice-presidente Hamilton Mourão não participa de desfile de tanques nesta terça

  • Comboio da Marinha com tanques e lançadores de mísseis atravessou Esplanada e desembarcou no Palácio do Planalto

  • Presidente Jair Bolsonaro recebeu comitiva ao lado do ministro da Defesa, Walter Braga Netto

O desfile da Marinha com tanques e lançadores de mísseis pelo centro de Brasília nesta terça-feira (10) não contou com a participação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

O comboio atravessou a Esplanada dos Ministérios e desembarcou em frente ao Palácio do Planalto para entregar ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, o convite do maior exercício militar da Marinha, a Operação Formosa, no dia 16. Mourão não estava ao lado de Bolsonaro na rampa do Palácio.

Leia também

Auxiliares do vice teriam considerado o desfile “inoportuno” e aconselharam Mourão, que é general da reserva, a não participar do evento.

Apesar de o treinamento da Marinha ocorrer anualmente desde 1998, é a primeira vez que os tanques passaram pelo centro de Brasília. Maior treinamento militar da Marinha no Planalto Central, a operação está marcada para a semana que vem e terá veículos anfíbios, aeronaves, carros de combate, veículos de artilharia e lançadores de foguetes. Além da participação de 2.500 militares, pela primeira vez na história, o treinamento terá a presença do Exército e da Aeronáutica.

O desfile dos tanques das Forças Armadas aconteceu no dia em que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), marcou a votação, em plenário, da PEC do voto impresso, defendida por Bolsonaro. A proposta deve ser rejeitada. Por isso, políticos concluíram que o evento seria uma forma de intimidação ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos