2 - Movimentos de esquerda protestam em frente a evento de Temer em SP

Em evento, Temer enaltece 'diálogo entre empresários e trabalhadores'

ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O "fora, Temer" habitual em protestos contra o presidente Michel Temer ganhou a companhia de bandeiras da Palestina.

Cerca de 50 pessoas se reuniram na noite desta segunda-feira (10) na frente do Clube Atlético Monte Líbano, em São Paulo, onde Temer, descendente de libaneses, seria homenageado em jantar.

Nas redes sociais, o convite para a manifestação ganhou um batismo: "Rolezinho no Jantar do Golpista". Os organizadores: os movimentos Palestina para Tod@s e Povo sem Medo.

"Apesar de ter sido divulgado que o evento conta com o apoio da 'coletividade líbano-brasileira', está claro que será apenas a ELITE econômica líbano-brasileira FAVORÁVEL AO GOLPE que estará presente. Trata-se de mais um festim diabólico para selar as alianças entre as elites econômicas e o governo Temer, onde o prato principal são os direitos garantidos pela Constituição", diz o texto divulgado na internet.

O palestino Hasan Zarif, 43, do Palestina para Tod@s, disse à reportagem que a aversão a reformas propostas por Temer não é o único combustível do protesto.

Ele criticou a "a ligação [do presidente] com o Estado de Israel", ao seu ver selada com nomeações "pró-sionistas", como a do israelense Ilan Goldfajn, ex-economista-chefe do Itaú, para comandar o Banco Central.

"Como árabe, a gente sente vergonha deste jantar, do público árabe lidando com um golpista", afirmou Zarif, sob olhar de PMs destacados para isolar os manifestantes da entrada do clube. "São árabes que apoiam o massacre de palestinos. Sentimos vergonha deste banquete com o qual eles estão se lambuzando."