Movimentos de oposição a Bolsonaro discutem enviar delegação de líderes para ato de 12 de setembro

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07.09.2021 - Protesto contra o governo Bolsonaro no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo, durante o feriado de 7 de Setembro. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07.09.2021 - Protesto contra o governo Bolsonaro no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo, durante o feriado de 7 de Setembro. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Movimentos que compõem a coordenação da campanha Fora Bolsonaro, responsável pelos atos da oposição pelo impeachment do presidente, discutem internamente a possibilidade de enviar uma delegação de lideranças para a manifestação marcada para 12 de setembro.

Existe na esquerda alguma resistência a aderir aos atos de domingo (12), dado que eles têm sido promovidos pelo MBL (Movimento Brasil Livre) e o VPR (Vem Pra Rua), compostos por políticos da direita não bolsonarista.

Lideranças de movimentos que compõem a campanha Fora Bolsonaro, como MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), UNE (União Nacional dos Estudantes), além de siglas de esquerda e centrais sindicais, têm reconhido o esforço do MBL em fazer concessões para que eles se juntem à manifestação de domingo (12), em São Paulo.

Segundo relatam, o movimento mostrou disposição em abandonar menções negativas a Lula (PT) e positivas a Sergio Moro, garantiu o uso da palavra no carro de som a todas as entidades interessadas e tem sido aberto aos pleitos dos grupos de oposição.

O mote "nem Lula, nem Bolsonaro", por exemplo, que vinha sendo enfatizado, deve perder força nesse processo de tentar atrair grupos de oposição.

Em reconhecimento a essa abertura e diante da possibilidade de articulação de atos conjuntos futuramente que surgiu a ideia de enviar uma delegação de lideranças de oposição. Para convocar os filiados e seguidores, no entanto, essas lideranças consideram tardio.

Alguns dos grupos que compõem o movimento, no entanto, já descartaram presença, como a CUT e a Central de Movimentos Populares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos