MP abre investigação preliminar sobre financiamento do BRB para mansão de Flávio Bolsonaro

Aguirre Talento
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu uma investigação preliminar para apurar possíveis irregularidades na concessão de um financiamento pelo Banco de Brasília (BRB) para a compra de uma mansão de R$ 6 milhões pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente.

A investigação foi aberta após uma representação do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP), que apontou que as condições do financiamento fugiam aos padrões adotados pelo mercado. Um dos pontos era que a renda mínima de Flávio e sua mulher, a dentista Fernanda, seriam inferiores ao exigido para um financiamento de R$ 3 milhões.

Trata-se até o momento de uma "notícia de fato", fase mais preliminar de uma investigação. Caso o MPDFT considere que há necessidade de aprofundar a apuração, pode ser aberto posteriormente um inquérito.

O caso ficará sob investigação na Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep).

Quando a compra da casa veio a público, tanto a defesa do senador Flávio Bolsonaro como o BRB negaram irregularidades na operação financeira. O BRB sustenta que as condições do financiamento de Flávio correspondem ao padrão do mercado.